iFolha - Arquiteto diz que não autorizou a obra que matou pedreiro na Andrade e Silva

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 27 de Junho de 2019
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 25/06/2019
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 12 de Maio, 2019 - 21:03
Arquiteto diz que não autorizou a obra que matou pedreiro na Andrade e Silva

Em depoimento prestado na delegacia de polícia de Olímpia, o arquiteto Donizeti Antunes Ferreira Filho declarou que não autorizou as obras que culminaram na morte do pedreiro Paulo Henrique da Silva Teiga, de 32 anos, no último dia 17 de abril, na avenida Andrade e Silva. Admitiu que apenas estava trabalhando na regularização do terreno junto a prefeitura.

Nas declarações prestadas no meio desta semana, que estão contidas no inquérito policial que apura o caso, o arquiteto afirma que não autorizou os proprietários do terreno, Evandro Antônio Búfalo e seu tio conhecido como “Carlão da Garagem”, que são sócios no terreno, a iniciarem as obras.

Relatou na polícia, o arquiteto, que estava apenas trabalhando na regularização do terreno, tendo descoberto que as medidas do terreno eram diferentes das que estavam registradas na prefeitura. Ressaltou que somente coloca placas nas obras quando saem as autorizações da prefeitura, justificando o fato de não ter sido encontrada nenhum placa sua na obra.

Donizete afirmou que tem “áudios” alertando os proprietários para não iniciarem as obras. Também disse que alertou os proprietários para não contratarem o empreiteiro de nome Aparecido, que estaria comandando os trabalhos no local do acidente, pois era de opinião que este profissional era acostumado apenas a trabalhar em obras pequenas.

Por  outro lado, segundo a investigação do inquérito policial, estaria evidente que o motivo do desabamento do muro, teria sido o excesso de terra retirado do local e ainda as chuvas fortes que caíram nos dias anteriores. Ainda de acordo com a polícia, deverão ser ouvidas mais duas ou três pessoas e aguardada a chegada dos laudos para a conclusão do inquérito policial.

Sobre eventuais indiciamentos de responsáveis, na polícia civil informa-se que esta iniciativa deverá ser do Ministério Público, quando o próprio promotor deverá apontar aqueles que tiveram responsabilidade no acidente que matou o pedreiro.

Com o se sabe, o pedreiro Paulo Henrique da Silva Teiga, de 32 anos, morreu no dia 17 de abril, quando trabalhava em uma obra localizada na avenida Andrade e Silva, esquina com a rua Silva Jardim, juntamente com outros companheiros. Quando perceberam que o muro estava desabando todos correram, mas Paulo Henrique escorregou  e parte do muro caiu sobre o seu corpo. Ele ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo da UPA de Olímpia.

 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
25 de Junho, 2019
Pura sintonia - 70
25 de Junho, 2019
Visite regularmente o dermatologista - 57
25 de Junho, 2019
O CD de Órfãos da Terra chegou nas lojas - 57
25 de Junho, 2019
O filme A Última Resistência chegou - 62
25 de Junho, 2019
Sobremesa de Banana - 67


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       




























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites