iFolha - O livro Meus Começos e Meu Fim chegou nas livrarias

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 17 de Junho de 2019
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 16/06/2019
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 20 de Maio, 2019 - 14:12
O livro Meus Começos e Meu Fim chegou nas livrarias

Cinco Mil Anos
Em 1998, apareceram na página de quadrinhos do jornal “Folha de S.Paulo”  uns personagens pescoçudos muito estranhos, como se vítimas de torcicolos brutais contraídos ao depararem com os aspectos mais absurdos da realidade. Dali em diante, o cartunista paulistano Caco Galhardo não parou mais. Agora, com este livro, os leitores e, sobretudo, os não leitores do jornal têm acesso a uma sensacional antologia não cronológica do trabalho de Caco. São tiras, graphic short stories e charges, ao longo dos últimos vinte e tantos anos e “cinco milênios” de produção ininterrupta. Com 352 páginas, o livro é um lançamento da Editora Quadrinhos na Cia.



O Mundo da Escrita
“O Mundo da Escrita” nos conduz a uma viagem maravilhosa pelo tempo e pelo globo, por meio de dezesseis textos fundamentais, selecionados dentre 4 mil anos de literatura mundial. É assim que conhecemos a Sra. Murasaki, autora do primeiro grande romance da história universal; as aventuras de Miguel de Cervantes ao enfrentar piratas — tanto os que atuam no mar como os literários —; e os artesãos da linguagem do épico oral “Sundiata na África Ocidental”. Também aprendemos como Goethe descobriu a literatura mundial na Sicília, passamos mil e uma noites com Sherazade,  acompanhamos a difusão do “Manifesto Comunista” e a batalha dos livros na América espanhola. Para contar toda essa trajetória, Martin Puchner trata tanto da narrativa quanto da evolução das tecnologias criativas — o alfabeto, o papel, o códice, a impressão —, que formaram pessoas, comércios e hábitos. A literatura, em suma, moldou nosso mundo, um espaço a partir do qual conversamos rotineiramente com vozes do passado e imaginamos que podemos nos dirigir aos leitores do futuro. De Martin Puchner, o livro tem 472 páginas e é da Editora Companhia das Letras



Meus Começos e Meu Fim
Em julho de 2016, Nirlando Beirão foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). O ímpeto de registrar em prosa a rápida evolução da doença avivou no jornalista o antigo projeto de escrever a história do amor secreto de seus avós paternos. Nascido em Portugal, António Beirão formou-se padre no seminário de Viseu, onde teve como colega um xará de sobrenome Salazar. Beirão se mudou para o Brasil no início do século passado, e tornou-se pároco numa pacata cidade no interior de Minas Gerais. Encantado pela jovem Esméria de Miranda, o vigário trocou o amor divino pela paixão terrena. O casal fugiu de Oliveira, deixando para trás sua história, um segredo que pairaria como uma sombra sobre as futuras gerações. Em “Meus Começos e Meu Fim”, o passado familiar se mescla aos duros desafios das vivências do momento. Como se falar de um amor proibido e corajoso pudesse impedir qualquer acesso de autocomiseração. Com 192 páginas, o livro é da Editora Companhia das Letras.



A Linguagem das Flores
Esse romance mistura passado e presente, criando um retrato vívido de uma mulher inesquecível cujo talento com as flores a ajuda a mudar as vidas das pessoas, enquanto luta para superar suas próprias lembranças turbulentas. Na era vitoriana, as flores eram usadas para expressar emoções: madressilva para devoção, azaleias para paixão, rosas vermelhas para amor. Ainda criança, Victoria Jones aprendeu tudo sobre essa linguagem, mas sempre a usou para comunicar sentimentos como dor, desconfiança e solidão. Depois de passar a infância em abrigos para menores abandonados, Victoria não consegue se aproximar de ninguém e sua única conexão com o mundo é por meio das flores e de seus significados.Agora com 18 anos, Victoria se vê sozinha e sem ter para onde ir. Ela dorme numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe oferece um emprego, Victoria descobre que tem o dom de ajudar as pessoas por meio das flores que escolhe para elas. Mas só depois de conhecer um misterioso vendedor do mercado de flores ela entende o que falta em sua vida. E, ao perceber que está se apaixonando por ele, Victoria é obrigada a confrontar um doloroso segredo do passado e decidir se arrisca ou não dar uma segunda chance à felicidade. “A Linguagem das Flores” é um romance emocionante sobre o significado das flores, da família e do amor. Da autora Vanessa Diffenbaugh, o livro tem 304 páginas e é da Editora Arqueiro.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
16 de Junho, 2019
Confeiteiro flagrado furtando chocolates em supermercado - 91
16 de Junho, 2019
Carro de idosos bate em animal bovino na rodovia perto do trevo de Severínia - 83
16 de Junho, 2019
Padrasto suspeito de estuprar criança autista em Severínia - 80
16 de Junho, 2019
Comerciante cai no golpe do falso primo e perde R$ 2 mil - 80
16 de Junho, 2019
“Amigos” desaparecem com carro emprestado - 85


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       




























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites