iFolha - A supersérie “Os Dias Eram Assim” é a nova aposta da Globo

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 20 de Outubro de 2017
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 19/10/2017
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 18 de Abril, 2017 - 14:46
A supersérie “Os Dias Eram Assim” é a nova aposta da Globo

Sophie Charlotte e Renato Góes serão os protagonistas de “Os Dias Eram Assim”, primeira supersérie da Globo / Sergio Zalis-RG




Renato Góes será o protagonista Renato em “Os Dias Eram Assim”, supersérie ambientada entre os anos 70 e 80, tempos de muitas mudanças no Brasil / Mauricio Fidalgo-RG

 

 

“Os Dias Eram Assim” marca o lançamento das superséries na Globo, que tem como proposta apresentar tramas com cerca de 70 capítulos, na faixa das 23 horas. Escrita por Angela Chaves e Alessandra Poggi, a nova aposta da emissora terá como cenário o Rio de Janeiro do início dos anos 70 até o final dos anos 80.

O enredo começa em 21 de junho de 1970. É dia da final da Copa do Mundo, e o Brasil termina a partida tricampeão. O clima de euforia que se vê nas ruas, entre as pessoas, contrasta com o peso do momento: repressão, ditadura, violência. É nesse cenário em que Renato (Renato Góes) e Alice (Sophie Charlotte) se conhecem e iniciam uma história de amor que vai atravessar quase duas décadas e cruzar com eventos históricos importantes do país nestes períodos. Da repressão às Diretas Já, o amor sobrevivendo a tudo isso: medo, separação, esperança.
O médico Renato é o primogênito de uma família de classe média de Copacabana. Filho de um professor universitário e de uma dona de livraria, Vera (Cássia Kiss), ele tem dois irmãos, os estudantes Gustavo (Gabriel Leone) e a Maria (Carla Salle). Cada um a seu modo, está engajado na luta pela liberdade que tanto conquistou as mentes e os corações dos jovens nesse momento histórico: enquanto Gustavo sai às ruas, Maria usa a arte como forma de manifestação e expressão.

No universo de Alice (Sophie Charlotte), a luta travada é contra o pensamento conservador da família. Questionadora, a estudante sempre bateu de frente com os pais. Dono de uma construtora, Arnaldo (Antonio Calloni) não se conforma com o fato de a mulher, Kiki (Natália do Vale), nunca ter conseguido reprimir a inquietude da filha. É o amor por Renato que faz Alice tomar coragem de contrariar o principal projeto da vida dos pais: o casamento da filha com Vitor (Daniel de Oliveira), com quem a moça namora há anos. O vilão é braço-direito de Arnaldo na construtora, e filho da oportunista Cora (Susana Vieira).  

São dois mundos que se cruzam por amor e serão separados pela relação conflituosa entre as duas famílias, potencializada pelo ambiente de conflito reinante no país.

O folhetim é um drama amoroso clássico. “A História é o pano de fundo dessa trama de amor. Tratamos de encontros e desencontros desse casal que é separado de forma abrupta e, depois, vai se reencontrar quando os dois já não são mais os mesmos”, antecipa a autora Angela Chaves. “Alice e Renato vivem uma história de amor muito forte no primeiro momento, mas, quando são separados, cada um resolve seguir sua vida. A maior parte da história ocorre após o reencontro, no período pré-abertura política, em 1984”, completa a outra autora Alessandra Poggi

Também estão no elenco de “Os Dias Eram Assim”, Maria Casadevall, Marcos Palmeira, Letícia Spiller e Marco Ricca, entre outros. As gravações começaram em janeiro no Chile.

Agora é esperar a estreia e ver se vai agradar o telespectador. O elenco é de peso, o assunto é interessante e a iniciativa da Globo é boa. Se vai ser uma boa produção, só o tempo dirá!

Reencontrar no Rio de Janeiro dos dias atuais o Rio de Janeiro das décadas de 70 e 80. Esse foi um dos desafios da equipe de “Os Dias Eram Assim” na escolha das locações que receberam as primeiras gravações na cidade, em janeiro. Pequenos prédios residenciais, comércios e outros edifícios históricos em ruas de bairros como Glória, Catete, Santa Teresa, Urca e Centro concentraram os trabalhos, comandados pelo diretor artístico Carlos Araújo.

Coube a produção de arte, comandada por Moa Batsow, recriar com elementos cênicos a atmosfera do período. Como não se tratam de locais tombados, várias intervenções foram feitas para que o espectador seja levado à época. “Especialmente nas externas, há um cuidado grande para que elementos estranhos ao período retratado não fiquem visíveis”, explica Batsow. Automóveis, faixas, cartazes de publicidade e outros objetos que ajudam a definir visualmente os anos 70 foram levados às gravações externas.

O trabalho minucioso da equipe poderá ser visto desde o capítulo de estreia. A equipe de pesquisa, formada por Maria Byington e Marta Rangel,  buscou em jornais e imagens em vídeo as referências para reconstruir o Rio de Janeiro em 21 de junho de 1970, dia da final da Copa do Mundo, que marca o início da trama.

Alguns dizem que esta supersérie será muito violenta, pois retratará com fidelidade as torturas dos tempos da ditadura, outros afirmam que o erotismo dominará a produção, mas para saber como verdadeiramente será a trama que estreia na noite desta segunda-feira, somente sintonizando a tela da Globo.

 

Quem é Quem?!

 

Renato Reis (Renato Góes) - Jovem médico, ético, idealista e apaixonado pelo trabalho. Salvar vidas é sua grande paixão, até conhecer Alice. O amor pela moça será mais forte do que a raiva que sente pelo pai dela, um homem que está perseguindo seu irmão, Gustavo (Gabriel Leone), e com quem já travou algumas discussões.

 

Vera Reis (Cássia Kis) - Viúva, dona da loja de discos e livros Egalitè, é mãe de Renato (Renato Góes), Gustavo (Gabriel Leone) e Maria (Carla Salle). Muito religiosa amarga o fato de ter perdido o marido no ano do Golpe de 64, segundo ela, de tristeza.

 

Maria Reis (Carla Salle) - Irmã de Renato (Renato Góes) e Gustavo (Gabriel Leone). Terá que aposentar o sonho de se formar em Psicologia para ajudar a mãe na administração da Egalité.

 

Gustavo Reis (Gabriel Leone) -  Irmão de Renato (Renato Góes) e Maria (Carla Salle). Idealista, envolve-se na resistência à ditadura, é preso e se torna um sujeito introspectivo. Vive um romance com Cátia (Bárbara Reis).

 

Rimena Garcia (Maria Casadevall) - Jovem médica, se envolve com Renato (Renato Góes) quando ele é obrigado a se mudar para o Chile. É filha de Hernando (Alfredo Castro) e  Laura (Cyria Coentro).

 

Alice Sampaio Pereira (Sophie Charlotte) - Filha mais velha do empreiteiro Arnaldo (Antonio Calloni), é estudante de Letras, mas apaixonada por fotografia. Questionadora e libertária, é namorada do advogado Vitor (Daniel de Oliveira), mas se apaixonará por Renato (Renato Góes). 

 

Kiki Sampaio Pereira (Natália do Vale) -  Mãe de Alice (Sophie Charlotte) e Nanda (Letícia Braga/Julia Dalavia), casada com Arnaldo (Antonio Calloni). Acostumou-se em sua vida superficial, é moralista, conservadora e reacionária.

 

Arnaldo Sampaio Pereira (Antonio Calloni) - Pai de Alice (Sophie Charlotte) e Nanda (Letícia Braga/Julia Dalavia), é dono da construtora Amianto. Autoritário e opressor, tem em Vitor (Daniel de Oliveira) seu braço-direito.  

 

Fernanda Sampaio Pereira (Letícia Braga/Julia Dalavia) - Irmã de Alice, filha de Arnaldo (Antonio Calloni) e Kiki (Natália do Vale). É a queridinha do pai. Espevitada, procura ficar sempre do lado dele em prol da harmonia familiar.  

 

Vitor Dumonte (Daniel de Oliveira) - Jovem advogado, braço-direito de Arnaldo (Antonio Calloni) na construtora.  Sem caráter, possessivo e perdidamente apaixonado por Alice (Sophie Charlotte), com quem namora.  

 

Cora Dumonte (Susana Vieira) - Mãe de Vitor (Daniel de Oliveira), tem sobrenome de uma tradicional família carioca, mas hoje vive às custas do salário do filho. 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
19 de Outubro, 2017
Polícia captura procurado condenado a 27 anos de prisão por estupro de vulnerável - 353
19 de Outubro, 2017
“Euripinho” quase foi transferido para São Paulo para fazer tratamento fisioterápico - 1062
19 de Outubro, 2017
Ampliação do Fórum poderá custar R$ 14 milhões - 158
19 de Outubro, 2017
Feriado em Olímpia registra maior ocupação hoteleira do ano - 94
16 de Outubro, 2017
Na novela da Record - 60


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       
































Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites