iFolha - Amanhã Vai Ser Maior: O Que Aconteceu Com o Brasil e Possíveis Rotas de Fuga para a Crise Atual

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 06 de Dezembro de 2019
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 02/12/2019
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 25 de Novembro, 2019 - 17:00
Amanhã Vai Ser Maior: O Que Aconteceu Com o Brasil e Possíveis Rotas de Fuga para a Crise Atual

Amanhã Vai Ser Maior
A Editora Planeta lança o livro “Amanhã Vai Ser Maior: O Que Aconteceu Com o Brasil e Possíveis Rotas de  Fuga para a Crise Atual” da antropóloga, pesquisadora e professora Rosana Pinheiro-Machado. Na obra, a autora investiga o período que vai das Jornadas de Junho até a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018. Em mais de 25 ensaios, a antropóloga vai além de uma análise institucional – frequentemente centrada no presidencialismo de coalizão, nas alianças e dinâmicas partidárias e nos interesses por trás do impeachment de Dilma Roussef – e aborda aspectos menos falados na explicação do bolsonarismo. Rosana mostra ao leitor, por meio de relatos de pessoas reais entrevistadas em uma série de pesquisas de campo, como a vida dos sujeitos das classes populares foi afetada pela crise econômica dos últimos anos, o que contribuiu para que uma parcela dos mais pobres aderisse ao discurso do atual presidente. “Sem observar como as fissuras democráticas ocorreram no dia a dia dos cidadãos comuns e as criativas formas de resistência que afloram aqui e acolá, nós não conseguimos contar a história completa de como chegamos até aqui, tampouco pensar quais as possíveis rotas de fuga que temos hoje, de forma concreta”, afirma a autora. O livro tem 192 páginas.

 

A Rainha do Ignoto
Imagine uma comunidade na qual as mulheres dominam a tecnologia, possuem habilidades sobrenaturais e combatem a opressão sem qualquer interferência masculina. Essa utopia, que provocaria ceticismo em parte considerável da sociedade mesmo hoje, foi concebida por uma cearense ao fim do Século XIX. Não bastasse isso, a obra traz também críticas à intolerância religiosa, à tortura e à arrogância da elite. Esse vanguardismo está presente em “A Rainha do Ignoto”, escrita  por Emília Freitas e publicada pela primeira vez em 1899. A obra volta em novíssima edição revista e atualizada com assinatura da “106 Clássicos”, selo de ficção da “Editora 106”, e a adição de prefácio e notas explicativas da professora e pesquisadora Constância Lima Duarte. Dos mitos ao imaginário, do espiritismo à parapsicologia, “A Rainha do Ignoto” é uma obra pioneira em vários sentidos. O livro é considerado o primeiro texto longo de realismo fantástico brasileiro. Marcada pela brasilidade, a história é ambientada principalmente no Nordeste, mais especificamente no Ceará, onde as Paladinas do Nevoeiro formam uma sociedade autônoma e altamente desenvolvida, que se vale do poder da hipnose e da capacidade de se comunicar com o além para identificar e ajudar outras mulheres doentes, em desespero ou oprimidas pelos homens. Extasiado pela visão da líder daquela hoste, chamada “Funesta” nas intrigantes rodas de conversa da região de Passagem das Pedras, o Doutor Edmundo é capaz de tudo — até de se travestir — para desvendar os segredos da Rainha do Ignoto e suas seguidoras fiéis. A obra está agora em versão atualizada e comentada pela professora e pesquisadora da literatura nacional Constância Lima Duarte.

 

Economia da Longevidade
A guerra comercial entre Estados Unidos e China, os conflitos nas ruas do Chile, a desigualdade social crescente em quase todo o planeta, o fluxo migratório global, a desindus- trialização brasileira, as mudanças climáticas e a chamada 4ª revolução industrial. Qual fenômeno percorre todos esses eventos e os influencia? O envelhecimento populacional. A dinâmica demográfica, inédita na história do capitalismo, está construindo uma nova geopolítica. Essa é a tese principal do livro “Economia da Longevidade – O Envelhecimento Populacional Muito Além da Previdência”, do jornalista e professor da Universidade de São Paulo, Jorge Félix, um dos maiores especialistas do tema no país. O livro é um dos primeiros publicados pela “106 Editora”, em seu segmento “Ideias”, destinado a ensaios. Nessa nova geopolítica, segundo o autor, o que está em discussão não é o fato de o Brasil envelhecer antes de ficar rico, como sempre é exaustivamente repetido no debate público, mas sim, em qual economia os países ricos envelheceram e em qual economia os países pobres estão envelhecendo. O livro tem 190 páginas.

 

O Homem do Reino
Afinal, o que é ser homem no Século XXI? Não é de hoje que essa pergunta ecoa em meio à sociedade – o tempo passa, o mundo se transforma, mas os homens ainda não encontraram essa resposta. Uma das visões interessantes sobre o assunto vem do doutor em Teologia Tony Evans, em sua obra “Homem do Reino”, publicada pela Editora Mundo Cristão. Com uma narrativa enriquecedora, Tony explica como os homens perdem tempo procurando respostas no mundo material, enquanto esses questionamentos devem ser resolvidos de forma espiritual. O autor fala sobre um tesouro para representar a busca do homem pelo Reino. Logo, esse tesouro não pode se resumir a bugigangas tecnológicas, times de futebol ou carreira: “Não há problemas com essas coisas, a menos, é claro, que elas não façam você se desviar da busca pelo Reino”, explica. Outro aspecto interessante encontrado no livro é a divisão entre ser macho, ser menino e ser masculino. Aqui, Tony separa os homens nesses três tipos, ajudando o leitor a se encontrar em uma dessas classificações e a procurar a evolução espiritual na busca pelo Reino. De acordo com o autor, o homem precisa entender que o seu alvo deve ser o Reino e, para atingir esse objetivo, é preciso reconhecer suas falhas e trabalhar nelas espiritualmente. Com clareza e simplicidade, Tony Evans consegue elucidar esse processo para o leitor. O livro “Homem do Reino – O Destino de Todo Homem, o Sonho de Toda Mulher” desperta reflexões sobre os problemas do homem na sociedade atual, sempre apontando para soluções que a palavra de Deus nos oferece. O livro tem 288 páginas.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
02 de Dezembro, 2019
No cinema nacional - 437
02 de Dezembro, 2019
Época do ano boa para se exercitar - 425
02 de Dezembro, 2019
Mano Walter apresenta a faixa e o clipe de “Tô Disponível” - 425
02 de Dezembro, 2019
O filme Luta de Classes já está disponível! - 461
02 de Dezembro, 2019
Panetone com Gotas de Chocolate - 444


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       
























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites