iFolha - Asas de Luz e Sombra

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 02 de Março de 2021
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 02/03/2021
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA


Olimpia, 08 de Fevereiro, 2021 - 18:36
Asas de Luz e Sombra

Lindalva Justo de Oliveira – A bem-aventurada Filha da Caridade

A Irmã Lindalva era uma pessoa dócil e prestativa. Em 1989, Lindalva ingressou no Convento das Filhas da Caridade na Província de Recife-PE. Em 1991, foi enviada em missão ao Abrigo Dom Pedro II, em Salvador-BA, onde passou a ser encarregada de coordenar o serviço aos homens idosos ou doentes. No asilo, passou a ser assediada por Augusto Silva Peixoto, que não aceitava a rejeição, já que a irmã sempre dizia que já era compromissada, com Jesus, mas o assediador considerava ser um amor “terreno”. Esse sentimento de posse, tão comum nos casos de violência contra a mulher, culminou no assassinato da Irmã Lindalva, a facadas, na Sexta-Feira Santa de 1993. Por ser uma mártir da fé e da pureza, a beatificação da Irmã Lindalva aconteceu em tempo recorde, em 2007, antes mesmo de outra brasileira, a Irmã Dulce. A cerimônia de beatificação da Irmã Lindalva aconteceu no Estádio Barradão, em Salvador, num evento para 25 mil pessoas. Pelos elementos de martírio, que comprovavam que Irmã Lindalva morrera defendendo a sua fé, a beatificação foi rápida e indiscutível. Os detalhes da vida e da história da mártir Irmã Lindalva são contados no livro “Lindalva Justo de Oliveira – A bem-aventurada Filha da Caridade”, da Editora Paulinas, escrito pelo historiador e jornalista italiano Gaetano Passarelli. O livro narra, em ordem cronológica e com detalhes, a história da freira, desde o seu nascimento, no Rio Grande do Norte, até o seu assassinato, em Salvador, na Bahia, além do processo de beatificação.

 

Asas de Luz e Sombra

Quando o jovem Ian, no ápice do desespero, tomou uma decisão insensata, pensou que na tragédia encontraria a paz. No entanto, outros planos haviam sido escolhidos para ele. “Asas de Luz e Sombra – O Suicida Que Não Perdeu a Vida”, do autor pernambucano Tibério Pessoa, é um livro sobre recomeços, esperança e reconstrução pessoal. O autor propõe a reflexão de que, quando caímos de um penhasco, construir as próprias asas pode ser a única saída. A obra começa com uma poética descrição da tristeza do protagonista que perdera a mãe para um câncer. A música, os amigos, a família, uma viagem emocionante e o seu grande amor por Tati lhe ajudam a voltar a sorrir. Porém, uma sequência de desastres o leva a uma profunda agonia. Abandonado por todos e sem conseguir encontrar uma saída, Ian toma uma atitude desesperada. Ele pensa em tudo que viveu, em todos que deixou para trás. No entanto, já era tarde demais. Por razões além da sua compreensão, esse não foi o fim, e sim um novo começo. De alguma forma ele continuou sua jornada, mas agora com uma missão mais intensa e arriscada. A dinâmica da narração de Tibério transporta o leitor diretamente para as cenas vividas pelos personagens e permite viver com eles as suas emoções. “Asas de Luz e Sombra” é uma história sensível, instigante, reflexiva, que surpreende a cada momento para fazer sorrir ou perder o fôlego conforme o desenrolar da trama. O livro tem 165 páginas.

 

Regente Fiúza 

Um chefe em busca de ascensão, uma rainha em busca de guerra, sacerdotes em busca de sucesso. Os personagens de “Regente Fiúza” têm uma história para vender e o tempo é o único com poder de torná-la uma verdade absoluta. A obra de estreia do escritor Gabriel Lombardi, caracterizada por diálogos marcantes, direciona os leitores à reflexão sobre disputas políticas, conflitos territoriais, jogos de poderes e passagem do tempo. Ao longo dos anos e dos séculos, no passado ou no presente, o tempo, um dos principais personagens da trama, é quem influencia na construção da história de toda a humanidade. Logo nas primeiras páginas o autor apresenta Áramus, o kafa, considerado o líder da Temérsia. Apesar de parecer ser este um cargo de prestígio, Áramus não era um sujeito amado, mas sim alguém que acumulava conflitos a serem resolvidos e culpado por qualquer infortúnio que pousasse sobre o clã. Entre suas funções estavam gerir as defesas do clã, o comércio, as taxas de travessia, a diplomacia e, principalmente, manter os pobres longe dos ricos. Um dos personagens marcantes na trama é Gardel, que fica abrigado na casa de Áramus após atracar em seu porto e não ter nada de valor para pagar a travessia. O sujeito estranho só revela seu nome na hora de partir. Temérsia, por ser um estreito, se tratava de um território estratégico e cobiçado por permitir a passagem de pessoas e mercadorias de leste a oeste. Os mercadores da elite, a mais alta casta, eram quem realmente governavam e viviam em topos de colinas por serem superiores e mais próximas aos deuses. A casta intermediária consistia em sacerdotes e servos dos deuses, logo abaixo estavam os militares e, aos pés das colinas, na baixa Temérsia, ficavam os bastans, o povo comum. Por utilizar elementos reais, “Regente Fiúza” é ambientada em uma realidade paralela com o objetivo de oferecer maior liberdade criativa e evitar más intepretações sobre a real mensagem da obra. Com 299 páginas, o livro é da Editora Viseu.

 

“D’Angelo – O Viajante de Conca”

Um romance de época que se passa na Itália, em um cenário entre Milão e a Costa Amalfitana. Depois de perder a mulher e a filha, o único motivo de viver para Matteo é o filho de catorze anos, enquanto mantém suas lojas de roupas finas. O tempo passa e conduz Valentine à loja de Matteo para comprar um vestido. De imediato eles sentem como se conhecessem de outras vidas e passam a se comunicar constantemente. A atração entre os dois aumenta de forma intensa e se transforma em um amor que traz novas perspectivas para a vida de Matteo. Porém entre eles existe à distância. Morando em Milão e cuidando das lojas, ele ainda não pode deixar os negócios nas mãos do filho que ainda é muito jovem. Ela vivendo em Conca dei Marini, na Costa Amalfitana, é dona de um hotel e precisa estar no comando de seus negócios. Ele passa a visitá-la com certa frequência, mas seriam essas viagens suficientes para manter aquele amor? Esse romance vai fazer o leitor viajar no tempo e nas belas paisagens italianas, despertando o desejo de querer conhecer cada local onde os personagens vivem suas histórias. O leitor vai se apaixonar pelos personagens e viver com eles uma história de amor e paixão em cada capítulo. Lendo o livro, percebe-se que o amor se apresenta de várias formas. O escritor Sérgio Giacomelli traz para as páginas deste romance, na Itália pós-guerra, assuntos como empoderamento feminino, parentalidade e pioneirismo empresarial. O livro tem 294 páginas e é da Vereda Editora.

 


 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
02 de Março, 2021
Taís Araújo é pé no chão - 70
02 de Março, 2021
As verduras ficam mais nutritivas se foram cozidas sem água. - 42
02 de Março, 2021
Caviar para tratar os cabelos - 57
02 de Março, 2021
MC Kekel e MC Rita estão juntos de novo. - 59
02 de Março, 2021
Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa - 59


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       


















Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites