iFolha - Barbados, o paraíso do Caribe menos conhecido

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 17 de Agosto de 2019
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 17/08/2019
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 20 de Maio, 2019 - 14:00
Barbados, o paraíso do Caribe menos conhecido

A natureza em Barbados é simplesmente maravilhosa. Na ilha pode-se encontrar em todos os lados, centenas de coqueiros, planta nativa desse país caribenho / GB Imagem

 



Águas azuis turquesa e muito tranquilas, assim é o mar de Barbados. Mas para quem prefere surfar a dica é o lado da ilha no qual o mar é banhado pelo Oceano Atlântico / GB Imagem

 

 

Quando se fala em férias de verão, logo se pensa em praia. Que tal programar uma viagem a Barbados, no Caribe? De origem vulcânica, Barbados é a menos conhecida das ilhas do Caribe, formando parte das Pequenas Antilhas, sua capital é Bridgetown, que possui um pouco mais de 110 mil habitantes.

A história de Barbados não é das mais bonitas. Tudo começou com os Arawak, povo nômade e pacifico que se espalhou pela região do Caribe, e ainda que posteriormente os caraíbas os desalojassem de muitas ilhas, conseguiu permanecer em algumas, entre as quais, Barbados.

No começo do Século XVI, os espanhóis chegaram à ilha, que batizaram de “das Figueiras Barbadas”. Convencidos de que ali não havia riquezas, se retiraram do lugar, não sem antes assassinar em massa a população e sequestrar os poucos sobreviventes, para divertirem a corte espanhola. Ao se estabelecerem em 1625, os ingleses encontraram um território fértil e desabitado. A introdução do plantio da cana-de-açúcar, que contou com o incentivo inglês, trouxe consigo importantes mudanças sociais.

Em 1961, Barbados conseguiu sua autonomia interna e a independência em 1966. Por esse motivo, Barbados se tornou a ilha mais inglesa dentre todas as inglesas do Caribe. A nobreza dos gestos, o jeito de falar e a formalidade no trato com os turistas são alguns sinais dessa influência. O bom humor e até a paciência para suportar algumas ofensas são traços comuns do povo barbadiano.

Barbados é simplesmente maravilhosa. A ilha tem apenas 782 Km2, motivo pelo qual você pode conhecer todo o país sem atropelos. Em Highway ficam as praias mais tranquilas, banhadas pelo Mar do Caribe, e as pequenas cidades de Holetown e Speitghtown. Outro lugar que vale a pena visitar é a destilaria do rum Mount Gay, lá os turistas vão descobrir como os destilados são feitos.

Já do outro lado, onde a ilha é banhada pelo Oceano Atlântico, o mar é um atrativo à parte para surfistas e nadadores experientes. Não deixe de visitar as praias de Barclay Park, Barthsheba e Ragged Point. O Castelo de Sam Lord, datado de 1820, que hoje é museu e resort é um passeio que não pode ser desprezado. Needham's Point é outro lugar que não pode deixar de ser visto. O local foi um estaleiro naval, no início do Século XIX. Construído em 1805, a base militar foi usada até 1831. Para o extremo sul Needham's Point, você encontrará o Drill Hall e Fort de St. Anne, cuja construção começou em 1704. Barbados tem a mais rara coleção do mundo de canhões de ferro ingleses, todos datados do Século XVII.  Incluindo o raro Victoria Gun e Commonwealth Cannon.

Durante todo o ano, se pode visitar Barbados, o tempo é quase sempre muito bom, pois os ventos ajudam a manter uma temperatura média de 27 graus. Mas cuidado: entre agosto e outubro, é a época de furacões e a ilha fica em alerta. Mas as grandes tempestades costumam passar apenas pela costa norte. Todo o ano em janeiro acontece o tradicional festival “Jazz Barbados”. Mas em julho tem o Crop Over, festa que mistura a alegria do carnaval com a coroação do rei do calipso.

Calipso por sinal é uma das paixões do povo de Barbados. Para quem não sabe, calipso é uma dança com ritmo caribenho misturando raízes da Ilha de Trinidad. Ou seja, assim como os brasileiros gostam do samba, os babadianos são apaixonados pelo calipso.

A gastronomia de Barbados também é bem tropical, não lembrando nada a dos seus colonizadores ingleses. Mas cuidado, às vezes os temperos são exagerados e com uma dose forte de pimenta. O prato mais comum é galinha assada, cenouras cozidas, arroz com ervilhas e polenta. Tudo isso regado com um molho especialíssimo, cuja receita não é divulgada nem “sob tortura”.

Por tudo isso vale à pena dar um pulinho na ilha de Barbados que fica logo ali, no Caribe. Consulte seu agente de viagens e divirta-se.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
17 de Agosto, 2019
BATEU O DESESPERO NO GOVERNO DO CORONEL? Nota e montagem tentam denegrir a imagem da Folha e do jornalista Arantes. - 352
12 de Agosto, 2019
O aniversário de uma grande atriz - 139
12 de Agosto, 2019
Cuidado com os excessos! - 149
12 de Agosto, 2019
Thiaguinho acaba de lançar a romântica faixa “Deixa Tudo Como Tá” - 79
12 de Agosto, 2019
O filme O Homem que Matou Dom Quixote já está disponível! - 131


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       


































Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites