iFolha - Causos para sorrir; As três espiãs

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 20 de Novembro de 2017
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 20/11/2017
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 06 de Novembro, 2017 - 16:54
Causos para sorrir; As três espiãs

As três espiãs

Em um clube, três garotas espiavam pela janela do vestiário masculino. Elas estavam compenetradas vendo um homem pelado, mas pela fresta só dava pra ver da cintura pra baixo. De repente a primeira amiga comentou:

— Só tenho uma certeza! Esse aí não é o meu namorado!

A segunda amiga disse:

— Eu também tenho uma certeza! O meu marido ele não é!

A terceira completou:

— Eu tenho três certezas! Esse aí não é nem o seu namorado, nem o seu marido e nem é sócio do clube!

 

Amor eterno

Um rapaz entra em um bar numa cidadezinha do interior e vê apenas um senhor já de idade no balcão e uma senhora bem velhinha na cozinha. Então ele pede ao senhor:

— Por favor... Será que o senhor poderia me servir um café?

— Com toda certeza, meu jovem — diz ele, enquanto se vira em direção à sua senhora e diz:

— Amor da minha vida! Traz um café aqui para o rapaz!

— Sem querer abusar o senhor pode me trazer umas rosquinhas também? — indaga o jovem.

— Prontamente! — responde o senhor, que novamente se vira em direção à sua mulher e pede:

— Razão da minha existência!!! Traz umas rosquinhas para o jovem!

Impressionado com o atendimento do senhor o rapaz se sente à vontade e pede também um pedaço de bolo.

— Sem problema! — replica o senhor e novamente fala com a esposa:

— Meu docinho de coco! Traz um pedaço de bolo para o jovem!

Já sem o que dizer o rapaz não se aguenta de curiosidade e pergunta:

— O senhor é casado com esta senhora?

— Sou sim, meu rapaz... Há 50 anos!

— Caramba! 50 anos! E o senhor continua com todo esse amor e carinho por ela!!! "Meu amor", "razão da minha existência", "meu docinho de coco"! Que romantismo!!!

— Romantismo nada, rapaz! É que faz uns 5 anos que eu esqueci o nome dessa mulher!!!

 

O troco

Um rapaz de 16 anos chega em casa com um Porsche. Assustados, os pais gritam:

— Onde conseguiu isto?

— Acabei de comprar.

— Como?

— Uma pechincha! Paguei R$ 15,00!

— Quem venderia um carro deste por esse preço?

— A nova vizinha! Ela me viu passeando de bicicleta e perguntou se eu queria comprá-lo.

O pai estranha a história e vai atrás da mulher.

— Com licença, senhora, gostaria de saber por que vendeu o carro tão barato ao meu filho...

— Bem, meu marido ligou e disse que vai ao Havaí com a amante e não pretende voltar. Pediu que eu vendesse o carro e enviasse o dinheiro, então eu vendi.

 

Ramal incorreto

Um funcionário muito gozador e desbocado, pensando que estava ligando para o ramal de um amigo, errou na hora de digitar o número e acabou ligando para o presidente:

— E aí, pilantra, anda aprontado muito?

O presidente se surpreendeu com a ligação e foi logo dizendo:

— Você sabe com quem está falando?

— Não! — disse o rapaz, desconfiado.

— Pois quem fala é o presidente da empresa.

— O funcionário, todo sem jeito, mas sem se intimidar, continuou:

— E, você, sabe com quem está falando?

— Não! — respondeu o presidente, indignado.

— Graças a Deus — e desligou o telefone.

 

Papo de patricinhas

Duas patricinhas conversando:

— Ai Bruna, nem me fala do Rafa! Tipo assim, esse garoto me cansa, cara!

— Lóóógico né, Camila... Você vive correndo atrás dele!

 

Faltando treinar a língua portuguesa

Um alemão que vivia no Brasil há algum tempo, ainda não se acostumara com a diferença de gênero dos dois idiomas.

— Outro dia, fui subir numa ônibus...

— Não, não é "uma ônibus" — corrigiam os amigos. — É "um ônibus"!

— Ontem estavam entrando na banco...

— Não, não é "a banco", é "o banco"!

— ... Fui pegar meu caneta...

— Não, não é "o caneta", é "a caneta"!

Um belo dia ele já estava mais confiante com a colocação dos artigos e saiu para a rua, quando viu um garotinho passar por ele correndo e levar o maior tombo.

— Acuda, mãe! — gritou ele.

E o alemão, todo solícito:

— Meu filho, não é "acuda mãe", é "ocuda mãe"!


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
20 de Novembro, 2017
Olímpia FC estreia contra o São Bernardo no ABC - 74
19 de Novembro, 2017
Menor é detido depois de furtar duas baterias - 75
19 de Novembro, 2017
Polícia esclarece roubos e prende cinco acusados - 371
19 de Novembro, 2017
Engenheiro é acusado de embriaguez e por agredir policial - 319
19 de Novembro, 2017
ACIO divulga premiação na campanha de Natal de 2017 - 54


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       
































Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites