iFolha - Causos para sorrir; Gesto de caridade

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 23 de Agosto de 2017
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 21/08/2017
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 20 de Março, 2017 - 19:16
Causos para sorrir; Gesto de caridade

Gesto de caridade

Em uma tarde, um garoto chega para a mãe e fala:

— Mamãe, preciso te pedir uma coisa. Mas é por uma boa causa.

A mãe interroga:

— Do que você precisa, meu bem? Que boa causa é essa?

— Será que você poderia me dar R$ 2,00?

— Depende. Para que você precisa de dinheiro?

— É para eu dar para um velhinho que está gritando no meio da rua.

Então, a mãe responde:

— Claro, meu filho. É muito bom saber que você está querendo fazer uma boa ação. Especialmente com alguém de rua. Mas o que é que o velhinho está gritando?

O menino responde:

— Olha o sorvete, olha o sorvete!

 

Conversa de ladrão

Durante um passeio pelo aeroporto, um ladrão encontra um velho amigo, que também costumava roubar coisas.

Eles carregam malas pretas, assim como suas mulheres, que os acompanham.

Depois de uma apresentação rápida entre eles, os amigos relembram alguns trabalhos que fizeram juntos no passado. Aí, um deles diz:

— Meu velho companheiro. Quanto tempo não nos víamos!

E o outro diz:

— É mesmo. Bons tempos aqueles. E aí, tudo joia? Meio encabulado, ele responde:

— Não, não. Tem também dinheiro, eletrônicos, roupas de marca e outras coisinhas.

 

Rato intelectual

Dois amigos ratos passaram a vida procurando bons lugares para viver.

Enquanto um escolhia o lugar, o outro se encarregava de procurar boa comida. Isso determinava se eles ficariam por lá ou não.

De uma biblioteca antiga no centro da cidade, resolveram se mudar para um estúdio de filmagens que ficava em outro prédio antigo ali perto.

Logo, o rato responsável pela comida foi procurar algo que pudesse garantir o almoço dos dois e começou a roer a cópia de um filme no porão do estúdio. O rato, então perguntou:

— E então, meu chapa, que tal?

E o outro, metido a crítico:

— Gostei mais do livro.

 

Ligando para o hospital

— Bom dia, é da recepção?

Eu gostaria de saber sobre o paciente Celso, do quarto 302.

— Um momento, vou transferir a ligação...

— Enfermaria, bom dia.

— Oi. Gostaria de saber sobre o paciente do quarto 302, por favor.

— Um minuto, vou localizar o médico de plantão.

— Aqui é o Dr. Carlos.

— Olá, doutor. O senhor pode me informar sobre a saúde do Celso, que está internado no quarto 302.

— Um instante. Bem, de acordo com o prontuário, ele está melhor e deve receber alta logo.

— Que maravilha!!!

— Você é da família?

— Não, sou o próprio Celso, telefonando aqui do 302. É que ninguém me passa nenhuma informação!

 

Prato pra caipira

Na cidade grande pela primeira vez, o caipira entra numa lanchonete e lê:

"Temos X-Burger, X-Salada, Feijoada, PF etc..."

Então o caipira chama o garçom e pede:

— Tarde... Eu gostaria de experimentar esse tal de etc!


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
21 de Agosto, 2017
O celular e as rugas no pescoço - 78
21 de Agosto, 2017
CD Austro Selections – Tupinimbass chegou nas lojas - 36
21 de Agosto, 2017
O filme Borboleta Negra está nas locadoras - 36
21 de Agosto, 2017
Geleia de Tangerina - 34
21 de Agosto, 2017
Compota da Figos Maduros - 38


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       
































Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites