iFolha - Causos para sorrir; O Poço dos Desejos

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 26 de Abril de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 25/04/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 16 de Abril, 2018 - 12:30
Causos para sorrir; O Poço dos Desejos

O Poço dos Desejos

O casal em férias vai visitar o melhor ponto turístico da cidade: O Poço dos Desejos.

Ao aproximar-se do local o marido saca uma moeda do bolso, faz um desejo e a atira sobre as suas costas.

A mulher decide fazer o mesmo. Pega uma moeda da bolsa, mas, ao inclinar-se sobre a mureta, perde o equilíbrio e cai dentro do poço.

— E não é que funciona mesmo? — conclui o marido.

 

Pagando a dívida

Um assaltante entra no restaurante e grita:

— Todo mundo no chão! Vou passar em todas as mesas e quero ver todo mundo me passando a grana!

Nisso, um turco que estava lá no fundo do restaurante saca a carteira e cochicha para o amigo, também turco:

— Salim! Toma aqueles 200 reais que eu estava te devendo!

 

Caipira no almoço

Um dia, um caipira foi entregar o leite na casa do patrão bem na hora do almoço e foi convidado a comer com a família. Com vergonha de sua falta de modos, ele preferiu não aceitar. O patrão insistiu:

— Coma conosco.

E o caipira:

— Não, brigado.

— Coma conosco, está uma delicia!

— Ah, tudo bem, acho que vou experimentar um “conosquinho”, então.

 

Reconhecendo os limites

Um homem trabalha numa estrada de ferro. Um dia, quando já se preparava para deixar o trabalho, ele olha para frente e vê um trem que avança, com velocidade, em sua direção.

Diante do perigo, o homem mantém a cabeça fria e, sem pensar duas vezes, começa a correr o mais rápido que pode, mas acaba sendo atropelado.

Internado às pressas, depois de muitas cirurgias tem alta do hospital. O médico entra no quarto para liberá-lo e diz:

— O senhor teve muita sorte de escapar com vida. Recuperações como essa são raras na medicina. Eu não entendo uma coisa, por que o senhor não subiu o barranco, ao lado da estrada, para escapar do trem?

— Eu não sou louco. Se eu não consegui correr mais do que a locomotiva no plano, que chance eu teria em uma subida?

 

Última pensão

A filha de pais separados faz 18 anos. O pai está todo feliz por emitir o último cheque da pensão que paga para a ex-mulher. Então, ele se encontra com a filha, faz o cheque e pede que ela lhe conte a cara da mãe quando lhe disser que aquele é o último cheque que ela verá da parte dele. A filha entrega o cheque para a mãe e volta à casa do pai para lhe dar a resposta. O pai não aguenta:

— Diga filha, qual foi a reação dela?

E a menina:

— O senhor quer saber mesmo?

O pai insiste:

— Claro que quero saber. Qual foi a cara daquela megera?

A menina conta:

— Ela mandou dizer que você não é meu pai.

 

O bom marido

O marido chegou em casa mais cedo e encontrou a mulher nua, na cama, respirando de maneira ofegante.

— O que houve, querida. Você está passando bem? — pergunta o cara todo preocupado.

A mulher responde:

— Acho que é um ataque do coração.

Ao ouvir isso, o marido corre feito um louco e pega o telefone para chamar um médico. Enquanto tenta discar, o filho chega perto e grita:

— Pai, tem um homem pelado no banheiro!

— Não acredito!

O marido vai até o banheiro e abre a porta. Dá de cara com o seu melhor amigo e diz indignado:

— Pelo amor de Deus, cara. Minha mulher está tendo um ataque do coração e você fica por aí, assustando as crianças.

 

O primeiro salto

Um jovem militar liga para o pai e, todo animado, começa a lhe contar sobre o seu primeiro salto de paraquedas.

— Pai, hoje saltei pela primeira vez, mesmo morrendo de medo.

— É, filho — diz o pai todo orgulhoso — Me conte como foi.

— Eu era o último da fila. Quando chegou a minha vez, fiquei muito assustado com a altura e com a velocidade do vento.

— Isso é normal, filho. E depois?

— Bom, eu me recusei a saltar, o sargento que estava atrás de mim disse: "Rapaz, pense bem. Eu gosto de rapazes como você e estamos nós dois aqui sozinhos. Ou você salta ou terá que enfrentar!

O pai um pouco assustado, pergunta:

— E você, filho, saltou é claro...

— No começo, um pouquinho, mas depois acostumei...


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
24 de Abril, 2018
Terno de Congada Chapéu de Fitas é atração do “Museu Vivo” nesta quinta - 82
24 de Abril, 2018
Prefeitura confirma apresentação do maestro João Carlos Martins para maio - 117
24 de Abril, 2018
Menino de 12 anos se enforca com o cinto em estrado de beliche em Altair - 606
24 de Abril, 2018
Idosa de 78 anos é roubada no centro e polícia prende o ladrão - 290
24 de Abril, 2018
Morador de Olímpia morre na Santa Casa de Barretos com suspeita de febre amarela - 278


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites