iFolha - Corrigindo o formato das orelhas

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 17 de Dezembro de 2017
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 13/12/2017
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 03 de Abril, 2017 - 18:56
Corrigindo o formato das orelhas

Olhar-se no espelho e se sentir bem com a própria aparência é condição principal para o desenvolvimento da autoestima e saúde emocional. Sob este aspecto, podemos lembrar o formato das orelhas; quem se sente desconfortável, pode procurar ajuda médica / GB Imagem



Um procedimento cirúrgico chamado Otoplastia corrige imperfeições da orelha. Deve ser feito por um médico especialista em cirurgia plástica / GB Imagem

 

 

Embora o comportamento humano atualmente esteja pautado em várias regras, principalmente quanto ao bulyng, o fato é que o tamanho fora do padrão das orelhas, popularmente chamadas de “orelha de abano”, pode causar sérios problemas psicológicos no individuo.

Trata-se de um desconforto estético que precisa de correção através de um procedimento chamado Otoplastia realizado por um médico especialista em Cirurgia Plástica. Geralmente, a malformação das orelhas provoca apelidos e piadas de mau gosto, que começam na infância, e fatalmente afetará a autoestima e influenciará no comportamento na vida adulta. A própria pessoa restringe o seu convívio social e isso é provocado por complexo de inferioridade.

Para entender melhor, as “orelhas de abano” são uma deformidade na estrutura das orelhas presente desde o nascimento e que vai se tornando cada vez mais aparente com o desenvolvimento.

A Otoplastia promove a correção externa do órgão. Ela corrige tanto a estrutura das “orelhas de abano”, quanto trata orelhas com deformidades causadas por alguma lesão. A Otoplastia cria uma forma natural, dando equilíbrio e proporção às orelhas e à face. A correção de deformidades menores pode beneficiar a aparência, que está diretamente ligada ao aumento da autoestima, bem-estar emocional e social.

Somente uma consulta com um profissional irá preparar o paciente para a cirurgia, fazer com que ele entenda seu problema e opte pela melhor solução. Especialistas em Otoplastia explicam que em alguns casos, como para orelhas pequenas, apenas reconstruções com próteses pré-moldadas ou cartilagens retiradas do próprio paciente podem ser indicadas. Para deformidades congênitas ou causadas por acidente pode ser necessário algum tipo de enxerto nas orelhas.

Além de preparar o paciente para a cirurgia, a consulta com o especialista mostrará os riscos e benefícios do procedimento e alinhará a expectativa com as possibilidades de tratamento e que tipo de resultado poderá ser alcançado.

O procedimento é indicado tanto para crianças quanto para adultos. A cirurgia é feita por uma incisão atrás da orelha para a retirada da pele em excesso e modelagem da cartilagem, conforme cada caso.

E como o assunto é orelhas, existem também técnicas indicadas para correção de lóbulo, quando o furo da orelha rasga devido ao uso de brincos pesados ou flacidez da pele. Este é um procedimento relativamente simples e que tem mudado a vida de muitas mulheres infelizes com o aspecto de sua orelha e impossibilitadas de continuar usando brincos.  

Após a cirurgia para correção, o curativo é mantido por 1 a 2 dias. O paciente deve utilizar por um mês uma faixa elástica que segura às pontas das orelhas. Nesse período, é recomendável evitar a exposição ao sol para favorecer a cicatrização.

Como em qualquer cicatriz, existe risco de queloide, por isso o paciente deve seguir todas as recomendações médicas para melhor cicatrização da cirurgia.

Crianças devem aguardar um período de uma semana para voltar às atividades normais, como ir à escola, para evitar o risco de trauma nas orelhas recém-operadas.  

Os adultos podem voltar às atividades, geralmente em sete dias. Exercícios físicos deverão ser leves no início, evitando-se trauma no local operado. 

A correção de “orelhas de abano” é importante porque, como explicado no início, está se lidando com a saúde emocional do indivíduo, fundamental para o seu desenvolvimento como ser humano e cidadão.

É importante os pais consultarem o pediatra que normalmente atende a criança e pedir-lhe orientações caso esta tenha “orelhas de abano”. O especialista na correção é o Cirurgião Plástico e procure profissionais que façam parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O Sistema Único de Saúde (SUS) também oferece atendimento nestes casos. Procure um posto de atendimento em sua cidade e informe-se sobre os encaminhamentos a serem cumpridos.

Em tempo, quem tem “orelhas de abano” e sente-se bem com sua aparência, não há nada que o obrigue a submeter-se a cirurgia e deve ser respeitado. A intenção é apenas informar que para aqueles que se sentem infelizes com sua aparência, “orelha de abano” tem solução.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
13 de Dezembro, 2017
Daemo assina contrato para perfuração e reestruturação de poços - 109
13 de Dezembro, 2017
Programação cultural do Natal Encantado continua nesta quinta - 87
13 de Dezembro, 2017
Jurista Luiz Flávio Gomes faz palestra na Casa do Advogado nesta quinta-feira - 114
13 de Dezembro, 2017
Trabalhador fica assustado ao saber de dívida de R$ 200 mil em loja de eletrodomésticos - 669
13 de Dezembro, 2017
Estelionatário vende panela por R$ 100, mas cobra R$ 1000, no cartão de crédito - 429


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites