iFolha - Em meio à tragédia e romance, “Órfãos da Terra” promete agradar

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 26 de Junho de 2019
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 25/06/2019
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 01 de Abril, 2019 - 14:39
Em meio à tragédia e romance, “Órfãos da Terra” promete agradar

A nova novela da Globo vai apresentar a história de Laila (Julia Dalavia) e Jamil (Renato Góes) que fogem da Síria para viver um grande amor em terras brasileiras / Paulo Belote-RG



Laila (Julia Dalavia), seu pai Elias (Marco Ricca), sua mãe Missade (Ana Cecília Costa) e o irmão Kháled (Rodrigo Vidal) são forçados a deixar a Síria em direção ao Líbano, para fugir da guerra / Paulo Belote-RG

 

 

“Espelho da Vida” chega ao fim nesta segunda, e na terça-feira estreia a mais nova produção da Globo, “Órfãos da Terra” que está sendo escrita por Thelma Guedes e Duca Rachid e tem direção geral de André Câmara.

Diversas culturas, crenças, sonhos, sotaques e uma só nação, o Brasil. O casal Laila (Julia Dalavia) e Jamil (Renato Góes) desembarca no país para tentar viver o amor que os uniu ainda no Oriente Médio. Ela, uma refugiada. Ele, empregado de um poderoso sheik (Herson Capri), que tomou Laila, à força, como uma de suas esposas. Surpreendidos pela paixão e fugindo de uma nação em guerra, os dois unem forças para tornar esse amor possível. E o destino os leva para um país que tem por tradição o acolhimento e o convívio pacífico com as diferenças.

No pano de fundo dessa história de amor, o universo de pessoas de diversos lugares do mundo, refugiados de guerras, de conflitos políticos ou deslocados por razões econômicas ou acidentes naturais. A novela vai mostrar que essas pessoas vêm e continuam vindo para o Brasil para recomeçarem suas vidas, enfrentando muitas adversidades. Mas trazendo um patrimônio cultural que nos enriquece e constitui. Uma só ancestralidade vivendo sobre a mesma terra.

Na Síria, em um dia de alegria e de celebração para a família Faiek, Laila vê seu destino mudar repentinamente. Um bombardeio os atinge, transformando a vida de uma família estruturada e bem-sucedida em pesadelo. Com a casa em ruínas e a fictícia cidade de Fardús em guerra, a jovem estudante Laila e sua família – o pai Elias (Marco Ricca), a mãe Missade (Ana Cecília Costa) e o irmão Kháled (Rodrigo Vidal) – são forçados a deixar a Síria em direção ao Líbano, para fugir do conflito e ter a chance de tratar Khaled, gravemente ferido.

De posse do pouco que lhes restou, em dinheiro e pertences, os Faiek vão parar em um campo de refugiados, em Beirute, onde Laila cruza olhares com Jamil Zarif, que está no campo, acompanhando o patrão, o sheik Aziz Abdallah, em busca de mão de obra para suas empresas.

Mas, assim como Jamil, Aziz também se interessa por Laila e, acostumado a comprar tudo que deseja, oferece ao pai da jovem um contrato de casamento que pode salvar sua família da penúria. Elias recusa a proposta. Mas o estado de Kháled se agrava e Laila se oferece em sacrifício, em troca do tratamento do irmão. Contudo, logo após a cerimônia de casamento, a jovem fica sabendo que o irmão não resistiu à cirurgia. Laila, então, deixa a mansão do sheik na noite de núpcias, antes de o casamento ser consumado, reencontra a família e, com eles, traçam um plano de fuga para São Paulo, no Brasil, onde os Faiek têm parentes.

Sem saber que a esposa fugitiva do patrão é justamente a mulher por quem se apaixonou no campo de refugiados, Jamil é surpreendido por uma missão: embarcar num navio com destino ao Brasil e trazer de volta para Beirute a mulher que Aziz acredita ser sua propriedade. Antes, porém, de embarcar, Jamil descobre que essa mulher é a sua Laila. A paixão intensa e inesperada que une o casal é maior do que o compromisso que Jamil assumiu com Aziz: casar-se com a ardilosa Dalila (Alice Wegmann), a filha preferida de seu patrão. “Com a história do casal protagonista, veremos como o amor tudo supera, rompendo fronteiras e unindo vidas. O grande tema dessa novela é a empatia”, afirma a autora Thelma Guedes. “Antes da guerra, esses personagens tinham uma estrutura familiar, financeira e social constituída, e que foi repentinamente destruída. Eles chegam em nosso país dispostos a começar um novo capítulo de suas vidas com uma esperança e entusiasmo que permeiam toda a trama”, complementa a autora Duca Rachid.

Ao chegar sem renda sem o endereço de Rania (Eliane Giardini), prima de Missade (Ana Cecília Costa), a família Faiek é encaminhada para o Instituto Boas-Vindas, uma instituição que apoia e acolhe pessoas em situação de refúgio e/ou deslocadas.

Administrado pelo Padre Zoran (Angelo Coimbra), o Instituto abriga pessoas de várias etnias e culturas. Entre elas, Marie Patchou (Eli Ferreira), uma jovem congolesa que perdeu tudo em seu país após a guerra civil. Simpática e prestativa, a professora Marie se torna uma das grandes amigas de Laila no seu lar temporário. O namorado de Marie, Jean Baptiste (Blaise Musipère), do Haiti, fica bastante próximo de Elias. Músico nas horas vagas, Jean é mecânico em uma oficina na Vila Mariana, na zona sul de São Paulo. E, ao saber que Elias é engenheiro, consegue um emprego para ele no mesmo local.

No Instituto, Laila e seus pais conhecem também a Dra. Letícia Monteiro (Paula Burlamaqui), que presta assistência médica como voluntária, Rogério Pessoa (Luciano Salles), advogado e braço direito do Padre Zoran na administração do local, e o médico sírio, refugiado, Faruq Murad (Eduardo Mossri), que vai lutar para ter seu diploma revalidado, a fim de exercer a medicina no Brasil.

E assim começa a trama de “Órfãos da Terra”, a qual pretende mostrar as dificuldades e alegrias e estrangeiros que vêm tentar uma vida melhor no Brasil e como manda a regra de um bom folhetim, recheados de intrigas, romances e muita paixão.

 

Quem é quem?!

 

Laila Faiek (Julia Dalavia) – Decidida e com muita personalidade, a jovem síria vê a vida ruir quando sua casa é destruída em um bombardeio. No campo de refugiados, no Líbano, se apaixona à primeira vista por Jamil (Renato Góes), mas é vendida ao sheik Aziz Abdallah (Herson Capri.

 

Jamil Zarif (Renato Góes) – O libanês é leal, determinado e foi adotado na infância, junto com o primo Houssein (Bruno Cabrerizo), por Aziz Abdallah (Herson Capri). É o homem de confiança do sheik a ponto de ser prometido em casamento a Dalila (Alice Wegmann), filha dele. Quando Laila (Julia Dalavia) foge de Aziz, Jamil recebe do patrão a missão de levá-la de volta, e vai buscá-la sem imaginar que ela é a mulher por quem se apaixonou. 

 

Aziz Abdallah (Herson Capri) – O poderoso sheik não aceita ser contrariado. É casado com três mulheres, mas só tem amor pela filha Dalila (Alice Wegmann), do relacionamento com Soraia (Letícia Sabatella).

 

Dalila Abdallah (Alice Wegmann) – Arrogante e mimada, a filha de Aziz Abdallah (Herson Capri) e Soraia (Letícia Sabatella) estuda em Londres e, por isso, é uma jovem à frente do seu tempo para os padrões locais, mas conservadora, quando lhe interessa.

 

Soraia Abdallah (Letícia Sabatella) – Submissa e conformada, a primeira esposa de Aziz (Herson Capri) e mãe de Dalila (Alice Wegmann) nutre uma paixão platônica por Houssein (Bruno Cabrerizo).

 

Fairouz (Yasmin Garcez) – A segunda esposa de Aziz (Herson Capri) mantém uma relação maternal com Soraia (Letícia Sabatella), a quem tenta proteger do sheik. 

 

Áida (Darília Oliveira) – A terceira e mais jovem esposa de Aziz (Herson Capri) é falsa e ambiciosa. Ela não mede esforços para conseguir o posto de primeira esposa do sheik.  

 

Houssein Zarif (Bruno Cabrerizo) – Primo de Jamil (Renato Góes) foi adotado com ele por Aziz (Herson Capri). É um dos capangas do sheik, mas em seu íntimo carrega uma paixão secreta por Soraia (Letícia Sabatella). 

 

Elias Faiek (Marco Ricca) – Casado com Missade (Ana Cecília Costa), pai de Laila (Julia Dalavia) e de Kháled (Rodrigo Vidal), o engenheiro sírio perde a casa num bombardeio.

 

Missade Faiek (Ana Cecília Costa) – A mãe de Laila (Julia Dalavia) e Kháled (Rodrigo Vidal) é uma mulher devotada à família que formou com Elias (Marco Ricca). Cozinheira de mão cheia vê seu pequeno restaurante na Síria ser destruído pela guerra.

 

Kháled (Rodrigo Vidal) – Filho de Elias (Marco Ricca) e Missade (Ana Cecília Costa) e irmão mais novo de Laila (Julia Dalavia). Por conta do seu aniversário de cinco anos, toda a família se reúne em uma grande festa no Líbano, que termina tragicamente.

 

Rania Anssarah Nasser (Eliane Giardini) – Apaixonada por Miguel (Paulo Betti), a prima de Missade (Ana Cecília Costa) deixou a família síria para se casar com ele. No Brasil, os dois tiveram Aline (Simone Gutierrez), Zuleika (Emanuelle Araújo) e Camila (Anaju Dorigon). Rania faz questão de abrigar em sua casa a família Faiek, refugiada da guerra. 

 

Miguel Nasser (Paulo Betti) – Brasileiro nato, o marido de Rania (Eliane Giardini) é dono da Importadora Nasser, que herdou do avô. Tem um bom coração, mas seu vício por jogos vai trazer sérios problemas para sua família. 

 

Ali Al Aud (Mouhamed Harfouch) – O dono da casa de chá “Aletria”, localizada na Vila Mariana, é um homem alegre, de bom coração.

 

Mamede Al Aud (Flávio Migliaccio) – Imigrante palestino, não simpatiza com seu vizinho israelense Bóris (Osmar Prado).

 

Bóris Fischer (Osmar Prado) – Judeu, faz questão que sua neta se relacione apenas com outros judeus

 

Faruq Murad (Eduardo Mossri) – Refugiado sírio, médico em sua terra natal, luta para ter seu diploma reconhecido no Brasil.

 

Dr. Rogério Pessoa (Luciano Salles) – Advogado do centro de acolhimento, braço direito de Padre Zoran (Angelo Coimbra).

 

Padre Zoran (Angelo Coimbra) – O diretor do instituto de acolhimento a pessoas em situação de refúgio é filho de imigrantes croatas. A tristeza pela morte da mãe, que não se adaptou ao Brasil, o fez optar pelo sacerdócio. 

 

Dra. Letícia Monteiro (Paula Burlamaqui) – Médica do centro de acolhimento aos refugiados se apaixona pelo médico sírio Faruq (Eduardo Mossri) e faz de tudo para ajudá-lo na equiparação do diploma. Mas o namoro balança por conta do machismo de Faruq e das diferenças culturais entre os dois. 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
25 de Junho, 2019
Pura sintonia - 61
25 de Junho, 2019
Visite regularmente o dermatologista - 49
25 de Junho, 2019
O CD de Órfãos da Terra chegou nas lojas - 50
25 de Junho, 2019
O filme A Última Resistência chegou - 52
25 de Junho, 2019
Sobremesa de Banana - 59


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       




























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites