iFolha - Trump e a violência que se espalha iFolha - Beneficência teria virado abrigo noturno para usuários de drogas iFolha - Molho Especial para a Salada

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 21 de Setembro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 17/09/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 13 de Novembro, 2016 - 13:44
Trump e a violência que se espalha

Do Conselho Editorial

A eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, por mais que se esforcem seus defensores e os defensores da radica­li­zação da política para demonstrar que sua passagem pelo governo daquele país será benéfica ao seu povo, isto em hipótese alguma ocorrerá.

Não há como acreditar que sua performance eleitoreira bizarra seja apenas para convencimento do eleitorado que tem dado uma guinada violenta na direção da aceitação dos discursos e das ações protofascistas.

 Aquilo, aquela coisa horrorosa é, na essência, mais que isto, é o que deixa de pensar, pois o que expressa é o contrário do pensar civilizatório.

Quando uma figura pública despe-se de todos os pudores e, na nação que é considerada o referencial de evolução do sistema capitalista e símbolo da democracia, faz o discurso anticivilizatório da barbárie, é votado pela maioria, inclusive pela faixa da população que poderá ser alvo de suas perseguições, algo de muito errado está ocorrendo com o mundo.

E este algo de errado remete a grandes erros históricos e a grandes tragédias que estão muito vivas e presentes na memória histórica da humanidade, desde o absurdo do aniquilamento dos povos indígenas, ao período de escravidão, até a tragédia do holocausto na Alemanha.

Vale aqui frisar, sem traçar paralelos, por que não cabe pelo menos por enquanto e tomara que não caiba nunca, os discursos de Hitler e Mussolini continham os mesmos conteúdos do discurso pre­con­ceituoso de Trump, que, diga-se de passagem, tem sido rece­pcio­nado por várias lideranças conservadoras pelo mundo afora.

E pode se focar no Brasil onde há um crescendo de intolerância e uma aceitação de discursos de ódio e de separação da sociedade por setores, conduzindo ao poder reacionários e extremistas que dividem o mesmo pensamento truculento de Trump, que divide a sociedade entre a visão do “nós” que devemos impor, à visão do pensamento único da minoria que os “outros”, a maioria, devem aceitar de forma submissa e servil.

Não é bem assim, nunca foi e nunca será desta forma. O confronto será inevitável e o que antes era bélico para além das fronteiras do país, pulará e ultrapassará os muros de expulsão dos que se imagina diferentes e trará a violência para o terreiro local.

Foi assim com a Alemanha de Hitler e foi assim com a Itália de Mussolini e possivelmente será desta maneira nos lugares em que o ideário de divisão de classes tentar se impor pelas diferenças raciais.

O homem sempre foi e sempre será um cidadão do mundo. Limitar cada elemento humano à condição obrigatória de estar no território de sua origem por motivos puramente econômicos, ou por rejeição a sua origem é uma bestialidade inimaginável até para o diabo e suas diatribes.

E, considerando-se a origem da formação americana baseada no princípio de sua colonização pela Inglaterra ou a do Brasil colônia de Portugal, soa como contraditório e selvagem o discurso da possível intromissão do outro na sociedade derivada da presença de almas e espíritos livres e aprisionados do mundo inteiro que pra lá se dirigiram ou foram levados por conta da aventura da busca da felicidade ou pela tristeza do tráfico desumano.

Este amalgama de raças das composições americanas e brasileiras e de outros países colonizados, que hoje conferem a eles a visão da convivência pacífica com a questão multir­racial em que vários grupos de muitos convivem pacificamente no mesmo território, com a ascensão de Trump e outros tantos extremistas, se esgota na questão do mercado, do emprego, do dinheiro, infelizmente.

Não há motivo para crer que não haverá significativas mudanças negativas nas relações do Estado com os cidadãos a partir de agora, tanto haverá que parte da sociedade americana já está nas ruas das grandes cidades se manifestando e demonstrando apreensão pelo que poderá vir a ser o bélico novo governo a se instalar por lá.

Haverá reflexos na economia mundial que irá repercutir por aqui, afinal, esta é uma nação de latinos vista como cucarachas (baratas) pelos setores que disseminam ódio e preconceito na América do Sul e, portanto, alvos de retaliações, se houver, e tudo indica haverá, senão o discurso de campanha que agradou maioria e desagradou a quase maioria não sustentará a fidelidade do eleitorado votante e engrossará as fileiras dos que opuseram nas urnas.

Esta avaliação por si só pode evidenciar que não há razões para não se acreditar na possibilidade do mundo ter ficado pior com a chegada de Trump e da direita selvagem ao poder em vários pontos do planeta e que doravante o botão com capacidade de explodir o mundo e a caneta que pode decretar uma nova guerra mundial está nas mãos de um insensato, assim como o destino de milhões de pessoas e da humanidade.

Ifolha

Olimpia, 02 de Abril, 2017 - 13:23
Beneficência teria virado abrigo noturno para usuários de drogas

O prédio que foi utilizado pela

Secretaria Municipal de Saúde da administração do ex-prefeito Eugênio José Zuliani, até o dia 16 de dezembro de 2016, teria virado um abrigo noturno para usuários de drogas. Nos últimos três meses, ele foi invadido e depredado por usuários de drogas, denuncia o advogado Mário Francisco Montini, ex-presidente da Sociedade Beneficência Portuguesa, autor de uma ação judicial contra a Prefeitura Municipal de Olímpia, que tramita na 1.ª Vara Civil.


Por isso, entre outras razões, o prédio abrigava um hospital que foi desativado há 20 anos aproximadamente, acabou virando caso de Justiça em Olímpia, que levou a juíza Marina de Almeida Gama Matioli a deferir liminar determinado que a Prefeitura Municipal proceda a limpeza e retirada inclusive de produtos de extrema contaminação.

Usado até dezembro de 2016 como sede da Secretária de Saúde da cidade, o local virou abrigo noturno para usuários de drogas, mas dentro há pilhas de remédios vencidos e até parte de uma máquina de raio-X, com risco ambiental de espalhar material radioativo.

Segundo a liminar da Justiça, o prédio precisa ser limpo e dedetizado com urgência, em um prazo de 30 dias, por uma empresa especializada devido à existência de detritos hospitalares, materiais radioativos e documentos de guarda obrigatória.

De acordo com informação divulgada nesta sexta-feira, dia 31, pelo jornal Diário da Região, de São José do Rio Preto, o antigo hospital foi fechado na década de 1990 por problemas financeiros. O prédio foi então cedido em comodato à Prefeitura para ser reaberto, mas foi usado até 16 de dezembro do ano passado apenas como sede da Secretaria. Com o fim do comodato, o prédio abandonado fechou com pilhas de caixas de documentos, remédios vencidos e sujo.

“Quando a prefeitura pegou o prédio, há mais de 20 anos, era para assumir a gestão do hospital, mas isso nunca aconteceu. No ano passado, entregaram as chaves, mas deixaram sujeira para trás. É de responsabilidade do governo municipal entregar o prédio como recebeu em comodato”, cobra Mário Montini.

 

Ifolha

Olimpia, 10 de Setembro, 2018 - 12:36
Molho Especial para a Salada

O Molho Especial para a Salada pode ser servido como acompanhamento de saladas verdes variadas e realça o sabor de legumes cozidos ou grelhados / GB Imagem

 

 

Ingredientes e Preparo: 1 pote de iogurte natural; 1 pacote de cream cheese; 1 caixinha de creme de leite; suco de 1 limão; cheiro verde picado; alho frito a gosto (opcional). Preparo:  Misture todos os ingredientes e sirva acompanhado da salada de sua preferência. Dica: O alho frito pode ser encontrado pronto nos melhores supermercados. Variação: Substitua o alho frito por cebola crua ralada. Faça uma salada verde com folhas variadas, tempere com o molho, salpique com batata palha e sirva imediatamente.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
17 de Setembro, 2018
Colhendo os frutos - 79
17 de Setembro, 2018
Óculos de sol: mais do que beleza, são uma necessidade! - 68
17 de Setembro, 2018
CD Baile do Nêgo Véio – Alexandre Pires chegou nas lojas - 58
17 de Setembro, 2018
O filme A Morte de Stalin chegou nas locadoras - 63
17 de Setembro, 2018
Patê de Queijo - 70


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites