iFolha - Novo coronavírus mata mais uma mulher e Olímpia chega a 68 óbitos

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 01 de Dezembro de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 30/11/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA


Olimpia, 26 de Outubro, 2020 - 10:59
Novo coronavírus mata mais uma mulher e Olímpia chega a 68 óbitos

CURVA DESCENDENTE!
Lindalva Maria Ap. Veiga da Silva, 69 anos, estava internada
desde o dia 06 na Sta. Casa. Família pode
velar o corpo de Lindalva que já tinha mais
de 20 dias desde a infecção com o vírus,
portanto, já tendo passado
o período de incubação.

Exatamente uma semana após morrer a 67ª vítima do novo coronavírus em Olím­pia, outra mulher veio a óbito no 68º caso no município. Trata-se de Lin­dalva Maria Apareci­da Vei­ga da Silva, 69 anos, internada desde o dia 06 de outubro na Santa Ca­sa de O­límpia. Ela possuía co­mor­bi­dades.

Por uma mudança nos protocolos da Saúde, a família de Lindalva pode dar o último a­deus ao seu ente querido. É que, em razão de ter passado mais de 20 dias desde a sua infecção ela já teria passado o período de incubação do vírus.

Olímpia fechou a semana com 68 óbitos desde o início da pandemia e dez nestes 23 dias do mês de outubro. A se manter os números registra­dos até aqui, poderá fechar o mês com um índice inferior ao do mês de setembro, com u­ma morte a cada 2,3 dias (ou até menos), quando em setembro, com 17, o índice foi de um óbito a cada 1,7 dias.

OS OUTROS ÓBITOS

O 67º óbito por complicações da Covid-19 em O­límpia foi de Palmira A­bra Balbo, de 87 anos, que pos­suía comor­bidades, no dia 16, que não pode nem ser internada em hospital, morreu em casa mes­mo.

A 66ª morte por covid foi a de Gerza Rocha Henri­que, 70 anos, (também conhecida co­mo Gessi) na noite de quarta-feira, 14. Ela estava internada no Hos­pital São Jorge em Bar­retos, desde o início do mês. Ela morava no distrito de Ribeiro dos Santos, mas desde o falecimento de seu marido, An­tonio Ba­tista Henrique, de 72 a­nos, a 54ª vítima do covi­d, ela foi morar com o filho em Barretos e, ao ser internada no hospital particular naquela cidade, foi informado o endereço do filho na­quela cidade.

O 65º óbito por complicações da Covid-19, na quarta-feira, 14, foi de José Luiz da Silva, de 77 anos, que ficou hospitalizado na UTI de Santa Casa por 15 dias.

A 64ª vítima do novo co­ro­navírus faleceu na Santa Casa na segunda-feira, 12: Izaura Valeriano, 87 anos.

A 63.ª também veio a ó­bito no feriado da segunda-feira, 12, na Santa Casa de Olím­pia. Trata-se de Ar­lindo Marques de Carvalho, 88 anos.

Já 62ª morte confirmada pela secretaria da Saúde foi de Celcina Xavier dos Santos Ribeiro, de 86 anos de idade. Ela estava internada na Santa Casa de O­lím­pia onde faleceu na manhã de domingo, 11.

AS OUTRAS

MORTES DE

OUTUBRO

A 60ª aconteceu na quarta-feira, 07, quando veio a óbito, Hilaide Miniussi Pe­drozo, 88 anos, sem chegar a ser internada, falecendo quando estava sendo atendida na UPA. Foi feito o teste Rápido que confirmou a Covid-19.

A 59ª aconteceu no domingo, 04, com a morte de Ana Siqueira da Costa, 73 anos, que estava infectada pelo novo coronavírus, mas não estava internada em nenhum hospital de Olímpia e região e acabou falecendo em sua casa.

UM DOS PIORES

DO MUNDO EM

NÚMERO DE

MORTOS POR 100

MIL HABITANTES

Por outro lado, com 68 casos registrados até aqui, O­límpia passa a ter um número de casos de mortes por Covid-19 por 100 mil habitantes bem superior a média brasileira, situando-se entre os piores índices do mundo com 123,34 óbitos por 100 mil, mas bem inferior a São José do Rio Preto, por exemplo, onde já se supera as 140 mortes por 100 mil habitantes.

Na conta feita pelos especialistas, divide-se o número de mortes (68) pelo número de habitantes (55.130) e depois se multiplica o resultado por 100 mil, o que dá um resultado de 123,34.

A taxa de Barretos que es­tava com 147 mortos na quinta-feira, 122, e tem 122.833 habitantes, era de 119,67, portanto, embora também entre as piores do mundo, inferior ao de Olímpia.

OUTROS NÚMEROS

Até agora morreram 45 homens e 23 mulheres; 02 em maio, 03 em junho, 05 em julho, 31 em agosto, 17 em setembro e 10 em outubro. Quanto a idade, a faixa com maior número é a entre 70 a 79 anos com 21 óbitos (14 homens e sete mulheres); depois vem os que estão entre 80 e 89 também com 19 (11 homens e 08 mulheres); em terceiro, os que se situam entre 60 e 69 com 15 (09 homens e 06 mulheres); depois vem os que estão entre 50 e 59, cinco homens; entre 40 e 49, dois homens e uma mulher; de 30 a 39 três homens; e nos dois extremos, com menos de 29 e acima de 90 apenas um cada.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
30 de Novembro, 2020
Segunda onda pode chegar a Olímpia semanas após capital e a farra do boi continua com bares e restaurantes sem fiscalização foram alguns assuntos do Cidade em Destaque de segunda-feira, 30. - 78
30 de Novembro, 2020
Série premiada - 93
30 de Novembro, 2020
Correndo contra a flacidez da pele do braço - 84
30 de Novembro, 2020
A dupla Zé Neto & Cristiano lançouo EP "Voz & Violão" - 68
30 de Novembro, 2020
Atrás da Linha - A maior fuga de prisioneiros da II Guerra Mundial - 96


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       








Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites