iFolha - Pimenta: O jogo político e o pedido de cassação de Niquinha

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 12 de Julho de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 10/07/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA


Olimpia, 12 de Janeiro, 2020 - 20:47
Pimenta: O jogo político e o pedido de cassação de Niquinha

Niquinha, como é conhecido, construiu sua carreira política com base no que agora pode se considerar seu ‘sincericídio’.

Do Conselho Editorial

O vereador e presidente da Câmara Municipal, Antonio Delomodarme, teria que enfrentar problemas sérios construídos ao longo de seu mandato e à frente da presidência do Legislativo em razão do seu pavio mais que curto, quase inexistente.

Niquinha, como é conhecido, construiu sua carreira política com base no que agora pode se considerar seu ‘sincericídio’.

Vereador e figura pública controvertida, atuava pelo desmonte dos adversários através da língua ferina e vocabulário agressivo, chu­lo, beirando a vulgaridade na maioria das vezes.

Temido por esta característica, foi granjeando antipatias e ódios nos embates públicos que travava até conduzir seu trajeto político a uma situação onde será tudo ou nada.

Conduzido a presidência do Legislativo não deixou pedra sobre pedra, só não teve desentendimentos políticos com as paredes por conta da surdez e mudez das mesmas.

Foi rompendo com os que o colocaram na condição de presidente e os que votaram contra sua presença na presidência.

Mantém relações de cordialidade apenas com os que, por temor, evitam seus ataques e se fazem de inexistentes para não ferir suscetibilidades.

Com uma experiência ampla na criação de factoides e jogando bem para a plateia, foi deixando consumir suas fichas internas e ampliando sua base pela mídia e redes sociais, entre propostas e destemperos contra seus pares.

Como nenhuma folha cai em vão, o círculo político, em um abraço de tamanduá foi se fechando contra si.

O pontapé inicial foi dado por Gustavo Pimenta ao renunciar a primeira secretaria da Câmara, o que obriga a eleição de seu substituto.

A volta de Selim Murad ao cargo de vereador retira seu suplente Marco Coca da vice-presidência da Câmara, o que obriga outra eleição para o posto.

Os bastidores dão conta de que Luiz do Ovo, que é segundo secretário, até dia 20 próximo apresentaria a renúncia de segundo secretário da mesa, isto significando que outra eleição teria que ser realizada e que Niquinha pode estar isolado. E tudo está a indicar que esteja e o tempo em breve, muito breve, dirá se está ou não.

Não bastasse tudo isso, Gustavo Pimenta, que se revelou seu inimigo figa­dal, requereu a cassação de seu mandato por descumprimento ao artigo 54- II da Constituição Federal que prega que desde a posse os legisladores não podem ser proprietários, controladores ou diretores de empresa que gozem de favor decorrente de contrato com pessoa jurídica de direito público, ou nela exercer função remunerada.

A representação traz também o artigo Art. 30 da Lei Orgânica que afirma que o Vereador não poderá, desde a expedição do diploma, firmar e manter contratos com pessoa jurídica de direito público, autarquia, empresa pública, sociedade de economia mista ou empresa concessionária de serviços públicos, salvo quando o contrato obedecer a cláusulas uniformes.

Antonio Delomodarme é presidente do Olímpia Futebol Clube e, nesta condição, de acordo com a representação, não poderia contratar com o poder público visto que é vereador e presidente do Legislativo.

O Artigo 31 da Lei Orgânica diz que perderá o mandato o vereador que infringir qualquer das proibições estabelecidas no artigo anterior.

E é isto que Pimenta e outros vereadores e outros políticos desejam, já que Niquinha é uma pedra no sapato de muitos.

A situação para Delo­mo­darme é muito complicada já que seu pedido de cassação soma-se a necessidade de eleição dos mem­bros faltantes da me­sa diretora, que diante do quadro apresentado, será difícil, senão impossível de ocorrer.

É aguardar pra ver o que ocorrerá, com a convicção de que, além do incomodo natural causado pelas posturas de Delomodarme, pesa contra si a condição de ter lançado sua pré-candidatura a prefeito o que deve incomodar e muito alguns de seus pares no Legislativo.

Estando sentado na presidência da casa, seu poder de fogo é bastante alto e fora de lá, na condição de vereador, se reduz bastante; se cassado pode dificultar e muito até mesmo sua reeleição para vereador ou sua pretensão de ser prefeito.

Ocorre, porém, que quem atira tanto e tão bem como Niquinha dificilmente será conduzido ao matadouro sem fazer algumas vítimas.

Resta esperar pelos próximos episódios para a contagem de mortos e feridos.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
10 de Julho, 2020
Olímpia continua na fase Laranja (2) do Plano São Paulo de flexibilização - 236
09 de Julho, 2020
Santa Casa registra a sua sétima morte por Covid-19 na 5.ª feira - 1182
09 de Julho, 2020
Garota de sete anos e adolescente de 16 estão entre os casos confirmados de covid-19 da quinta-feira, 09 - 576
08 de Julho, 2020
Santa Casa registra a segunda morte no mesmo dia causada pela covid-19 - 685
08 de Julho, 2020
Morre o quarto paciente de Olímpia por covid-19 e mais 11 casos são confirmados na 4.ª feira, 08 - 520


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       








Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites