iFolha - Professores da rede estadual de Olímpia aderem a movimento contra tudo e contra todos

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 18 de Dezembro de 2017
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 18/12/2017
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 15 de Março, 2017 - 21:22
Professores da rede estadual de Olímpia aderem a movimento contra tudo e contra todos

O dia nacional de paralisação contra as propostas de reformas trabalhista e da Previdência Social do governo Michel Temer, chegou a Olímpia no início da manhã de quarta-feira desta semana, dia 15, com aproximadamente 50 professores da rede estadual participando da paralisação. Eles se queixam da reforma da previdência e principalmente da falta de melhores condições salariais da categoria.

Durante o ato realizado no cruzamento da Rua David de Oliveira com a Rua Coronel Francisco Nogueira, um dos mais movimentados da região central da cidade, a coordenadora local do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do estado de São Paulo (Apeoesp), Sueli Pessoa, disse também que a categoria não aceita a reforma da Educação como está sendo proposta pelo presidente Michel Temer.

Em Olímpia o movimento paralisou parcialmente três escolas: Dona Anita Costa, Maria Ubaldina de Barros Furquim e Alzira Tonelli Zaccarelli.

Também segundo ela, as centrais sindicais e movimentos sociais saíram às ruas nesta quarta-feira, junto com bancários, metalúrgicos, químicos, professores municipais e estaduais e servidores públicos são algumas das categorias profissionais que aderiram à mobilização.

GREVE DA CATEGORIA

Ainda de acordo com Sueli Pessoa, no mesmo dia os professores da rede estadual de ensino iniciariam una greve por tempo indeterminado. Uma assembleia foi realizada na tarde desta quarta-feira, 15, no vão do MASP (Museu de Arte de São Paulo), na qual foi aprovada a decisão de parar.

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) estima que os salários estejam defasados em 21,76% e pede reajuste. A categoria pede equiparação salarial com os demais profissionais com formação equivalente. A campanha salarial foi lançada no último sábado.

Segundo os professores, um reajuste de 9,1% foi dado a 18 mil profissionais que lecionam para o ensino fundamental 1, mas há mais de 230 mil docentes na rede. A Secretaria da Educação afirmou em nota que mantém a negociação aberta com sindicatos da categoria e que na terça-feira, 7, já foi pago o salário com reajuste de 10%. “Esse aumento será incorporado ao salário de mais de 18 mil professores de educação básica 1”.

A pasta disse que nenhum professor do Estado recebe menos do que o piso nacional, de R$ 2.298,80. “O salário-base dos professores da rede estadual de ensino PEB 2 é R$ 2.415,89.”


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
18 de Dezembro, 2017
“Nin Peão” sofre acidente, fica exaltado na UPA e é preso pela PM - 535
17 de Dezembro, 2017
Olímpia tenta mais quatro contratações para série A3 - 113
17 de Dezembro, 2017
Delegado de Fernandópolis pede prisão preventiva de Celso Teixeira e mais três - 245
17 de Dezembro, 2017
“Nuguete” e Laércio registram hipoteca e ganham a liberdade - 206
17 de Dezembro, 2017
Pivô da prisão de ex-vereador diz que foi agredida por patrão - 538


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites