iFolha - Profissionais de Saúde da Santa Casa pedem socorro

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 01 de Junho de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 01/06/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 10 de Maio, 2020 - 18:49
Profissionais de Saúde da Santa Casa pedem socorro

SITUAÇÃO DE TERROR!        Funcionários afirmaram para jornalista que trabalham com equipamentos irregulares.

“Mas, entre quinta e sexta-feira, a situação piorou, pois começou a ser disseminado o medo em razão, primeiro da notícia de que um médico estaria com suspeita de contaminação e teria participado inclusive de festas com outros médicos no final de semana passado”.

Um pedido de socorro feito por várias profissionais de Saúde da Santa Casa local foi um dos principais temas do programa Cidade em Destaque que é comandado pelos jornalistas José Antônio Arantes e Bruna Silva Arantes Savegnago, durante toda esta semana.

Começou com uma delas, no início da semana reclamando para Bruna que estava atemorizada, pois a determinação de utilização de máscaras faciais específicas não estaria sendo levada a sério pela direção do hospital.

A administração não estaria fornecendo máscaras cirúrgicas para o pessoal do centro cirúrgico e estaria cedendo apenas uma máscara facial N95 PFF2, por mês para os outros profissionais do hospital, quando o prazo validade deste equipamento seria entre uma semana e 10 dias.

DESESPERADOS E PEDINDO AJUDA

Na sequência, a jornalista recebeu vários outros telefonemas de outros profissionais da saúde do hospital corroborando a situação e, desesperados com a situação, pedindo ajuda, pois eles estavam na linha de frente e não tinham o equipamento suficiente e a ordem era utilizar as máscaras n95 por um mês, mesmo se estivesse suja.

A jornalista recebeu também a denúncia de que estariam escondendo máscaras em um armário e trancando.

Diante de todas as reclamações os jornalistas resolveram estender o clamor dos funcionários do hospital para a população no sentido de ajudar a comprar o equipamento e iniciaram uma campanha para conseguir máscaras e em especial as cirúrgicas e as N95 PFF2.

AJUDAS COMEÇARAM A APARECER

Alguns empresários e a população começaram a se comover com tal situação e começaram a manifestar apoio doando dinheiro e máscaras de diversos modelos.

Depois de um dia de campanha lançada, várias outras ligações chegaram dando conta de que o provedor Luiz Alberto Zacarelli estaria muito nervoso com tais denúncias e que estava dando murro nas paredes e encarregando terceiros de fazer pressão para saber quem estaria passando informação para os jornalistas.

CLIMA NO HOSPITAL ERA DE TERROR

Foram várias as mensagens e ligações contando que o clima no hospital era de terror e até que estariam ameaçando os profissionais para saber quem estaria passando as informações e que iriam descobrir para mandar os denunciantes pra rua por justa causa.

Também foram recebidas mensagens de profissionais indignados com a situação que estariam enfrentando, pois teria médico dando risada e tirando sarro na pandemia. Um deles estaria andando pelos corredores sem máscara e tossindo na cara dos profissionais de propósito.

Pelas informações, o clima era de medo e insegurança. Pois além de não poderem trabalhar sem equipamentos eles insistem em dizer que tem, mas não cedem, inclusive os óculos de proteção que são usado em cima dos de grau teriam feito pedido em fevereiro e até hoje não tinha chegado.

SUSPEITAS DE MÉDICOS CONTAMINADOS DISSEMINOU O MEDO

Mas, entre quinta e sexta-feira, a situação piorou, pois começou a ser disseminado o medo em razão, primeiro da notícia de que um médico estaria com suspeita de contaminação e teria participado inclusive de festas com outros médicos no final de semana passado.

Depois, começou a circular a informação de que outros dois médicos também estavam afastados por suspeita de terem sido contaminados.

Na sexta-feira já se especulava que sete médicos estavam com suspeita. Inclusive, corria nos corredores do hospital a informação de que pelo menos dois já haviam sido confirmados por exames realizados em laboratórios particulares da cidade. E que um médico residente do hospital já estaria constando na lista oficial divulgada pela saúde.

BANCÁRIA PARTICIPOU DE FESTINHA E ENTROU EM PÂNICO AO SABER DE CONTAMINAÇÕES

Também corria nos corredores na sexta-feira, que uma funcionaria de uma agência bancária que teria participado da “festinha” em que teriam participado vários médicos, inclusive sem usar máscaras faciais, teria ficado apavorada quando soube, na sexta-feira dos médicos que estavam com suspeita e os que teriam tido exames positi­vados. A mulher teria entrado em desespero, pois teria trabalhado a semana toda no banco, com contato com um monte de gente. E só na sexta-feira teria contado para o gerente.

Segundo informações da assessoria da prefeitura local, na terça-feira, após serem concluídos os exames na UPA com a chamada testagem rápida, será iniciada a realização de exames na Santa Casa local.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
01 de Junho, 2020
Motivos para comemorar - 8
01 de Junho, 2020
Redobrando os cuidados com a hidratação do corpo - 14
01 de Junho, 2020
Teló faz versão de canção de Lulu Santos - 14
01 de Junho, 2020
Harriet - Seja livre ou morra - 18
01 de Junho, 2020
Muffin de Banana com Chocolate - 18


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       








Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites