iFolha - Repeteco na tela da Globo

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 01 de Abril de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 01/04/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 24 de Março, 2020 - 15:33
Repeteco na tela da Globo

1- As atrizes, Daphne Bozaski, Ana Hikari, Gabriela Medvedovski, Hislaine Vieira e Manoela Aliperti interpretaram respecti- vamente, Bene, Keyla, Tina, Ellen e Lica, em “Malhação: Viva a Diferença” / Reinaldo Marques-RG

 

2- Em “Novo Mundo”, o romance ficcional entre a professora de Português Anna (Isabelle Drummond) e o ator Joaquim (Chay Suede) se entrelaçava à luta do Brasil pela construção de uma nação independente / Estevam Avellar-RG

 

3- Caio Castro interpretou de forma primorosa o imperador Dom Pedro I, em “Novo Mundo” / Estevam Avellar-RG

 

4- Estrelada por Marina Ruy Barbosa, na pele de Eliza, “Totalmente Demais” foi indicada ao Emmy Internacional e abordou vários temas importantes para a sociedade / Paulo Belote-RG

 

5- Em “Fina Estampa”, Lilia Cabral viveu a personagem Griselda Pereira (Pereirão), uma espécie de “marido de aluguel” que sobrevivia fazendo consertos pela vizinhança, mas que ficou milionária após ganhar na loteria / Renato Rocha Miranda-RG

 

6- Inesquecível foi Clodoaldo Valério, personagem interpretado magistralmente por Marcelo Serrado. Mais conhecido como Crô, o personagem caiu no gosto popular e virou até filme, dois, aliás / Renato Rocha Miranda-RG

 

Um ato inimaginável aconteceu. A Globo, temendo a proliferação do coronavírus, decidiu mexer em sua programação e resolveu cancelar todas as suas produções em andamento; no lugar delas vai colocar reprises. Justamente a Globo que sempre prezou por exibir novelas inéditas em suas famosas faixas de teledramaturgia vespertina e noturna. A decisão não afeta apenas a área de teledramaturgia, mas se estende para todas as produções do grupo Globo.

Desde a última segunda-feira, a emissora aumentou o tempo destinado ao jornalismo chegando a 11 horas de programação ao vivo consecutivas, das 4 horas da manhã às 15 horas.

As novelas da Globo tiveram suas gravações paralisadas, o que comprometeu suas exibições. A emissora quer evitar o contato físico, fundamental na estratégia da sociedade para conter a expansão do vírus. E não há novelas sem abraços, apertos de mãos, beijos, festas, cenas de briga, cenas de amor, cenas de carinho, tudo aquilo que reflete a vida real, mas que, hoje, não pode ser encenado em segurança.

As tramas que foram retiradas do baú, para preencher o horário das novelas e que serão exibidas em edição compacta são: “Malhação: Viva a Diferença”, “Novo Mundo”, “Totalmente Demais” e “Fina Estampa”.

Com uma frente consideravel de capítulos gravados, “Malhação: Toda Forma de Amar” terá seu final antecipado para o mês de abril. Após o encerramento da atual temporada, entrará no ar um compacto de “Malhação: Viva a Diferença”, que foi escrita por Cao Hamburger e teve direção artística de Paulo Silvestrini. A novelinha teen foi exibida entre maio de 2017 e março de 2018. No vibrante e caótico universo de São Paulo, Keyla (Gabriela Medvedovski), Benê (Daphne Bozaski), Tina (Ana Hikari), Lica (Manoela Aliperti) e Ellen (Heslaine Vieira), cinco adolescentes que não se conheciam, se veem presas sozinhas no mesmo vagão de metrô por obra do acaso durante uma pane em um dia chuvoso. Como se não bastasse à tensão natural da situação, Keyla entra em trabalho de parto e elas se unem em solidariedade para ajudá-la no nascimento do bebê mesmo sem recursos disponíveis no local, criando um vínculo de amizade entre cinco garotas com personalidades completamente diferentes.

A partir do dia 30, com o fim de “Éramos Seis”, será exibido um compacto de “Novo Mundo”, portanto, a estreia de “Nos Tempos do Imperador” fica adiada até segunda ordem. Na verdade, “Nos Tempos do Imperador” é uma espécie de continuação de “Novo Mundo”, ambas são de autoria de Thereza Falcão e Alessandro Marson. Exibida em 2017, “Novo Mundo” mostrava as aventuras de Anna Millman (Isabelle Drummond) uma inglesa, professora de Português que se envolvia com o ator luso-brasileiro Joaquim Martinho (Chay Suede). Os dois se conhecem na Europa, mas vêm ao país por causa da união da futura imperatriz do Brasil com Dom Pedro (Caio Castro). Seus destinos se cruzaram ao se encontrarem a bordo do navio que trazia a princesa Maria Leopoldina de Áustria (Letícia Colin) para o Brasil, já que havia se casado com Dom Pedro (Caio Castro) por meio de uma procuração. Os dois iniciam um romance durante a viagem ao Novo Mundo. Apesar do amor que nutrem um pelo outro, sofreram com as ameaças de Thomas Johnson (Gabriel Braga Nunes), oficial inglês que desejava ter para si Anna. O romance se entrelaçou à luta do Brasil pela independência.

Já “Salve-se Quem Puder”, ficará no ar até o próximo sábado, quando será feita uma pausa em sua exibição. Na segunda, dia 30, estreará nesse horário uma versão compacta de “Totalmente Demais”, novela escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm e exibida entre 2015 e 2016. Estrelada por Marina Ruy Barbosa, na pele de Eliza, “Totalmente Demais” foi indicada ao Emmy Internacional e abordou vários temas importantes, como estupro, psicopatia, bullying, criança soropositiva, racismo e homofobia.

“Amor de Mãe” teve seu capítulo de despedida neste sábado, mas assim que a epidemia passar, volta a ser exibida e mostrará o destino reservado para cada personagem pela autora Manuela Dias; e nesta segunda volta ao ar o grande sucesso de 2011/2012 “Fina Estampa” de Aguinaldo Silva, com os inesquecíveis Pereirão, personagem de Lilia Cabral e Tereza Cristina, interpretada por Christiane Torloni, e o inigualável Clodoaldo Valério, personagem interpretado magistralmente por Marcelo Serrado. Mais conhecido como Crô, o personagem caiu no gosto popular e virou até filme, dois, aliás. “Fina Estampa” teve como fio condutor as duas personagens: Griselda Pereira, o Pereirão e Teresa Cristina de Velmont. A primeira era pobre, lutava com a vida e não abria mão dos seus princípios; a segunda era rica e também era fiel àquilo que considera justo. Duas mulheres fortes e muito decididas que moravam na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, mas o inquebrantável para uma, não entrava na lista de prioridades da outra.  O que Griselda talvez não sabia é que ficaria milionária depois de anos apostando diariamente na loteria o que a fez inaugurar uma nova fase em sua vida.

O bairro carioca da Barra da Tijuca, pouco retratado nas telenovelas brasileiras, reinou absoluto como cenário de “Fina Estampa”. O lugar concentrou todos os núcleos da trama e foi o verdadeiro elo entre os personagens.

Sábia decisão da Globo em cancelar as gravações e dar o exemplo que agora a melhor opção é ficar em casa e evitar o contato físico para que esta pandemia acabe logo e tudo possa voltar a normalidade, inclusive as gravações das telenovelas.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
01 de Abril, 2020
Juíza nega liminar para incluir hotel de Olímpia como atividade essencial durante a pandemia - 181
01 de Abril, 2020
Jovem de 27 anos é nova suspeita de ter contraído o novo coronavírus em Olímpia - 129
31 de Março, 2020
Olímpia passa três dias seguidos sem novos suspeitos do novo coronavírus - 105
31 de Março, 2020
Terceiro lote de vacinas da gripe esgotam no meio da tarde de terça - 364
31 de Março, 2020
Prefeito explica medidas envolvendo servidores, anuncia doação do próprio salário e compra de testes para coronavírus - 108


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       














Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites