iFolha - Resgatando “A Grande Família”

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 30 de Abril de 2017
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 26/04/2017
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 13 de Março, 2017 - 19:02
Resgatando “A Grande Família”

Agora por trás das câmeras Marco Nanini volta com seu inesquecível Lineu Silva, para narrar a evolução de cada personagem que protagonizou o sucesso de “A Grande Família” / João Miguel Jr-RG



Elenco que protagonizou a última temporada de “A Grande Família”; o último episódio foi exibido em 11 de setembro de 2014 / Paulo Belote-RG

 

 

Os fãs de “A Grande Família” que durante 14 anos esperavam ansiosos por um novo episódio que contava a divertida saga da família Silva estão comemorando. O horário é meio ingrato, mas a partir do dia 20 de março, será exibido de segunda à sexta-feira, logo após o “Jornal da Globo”, o “Álbum da Grande Família”, contando a evolução de cada personagem que brilhou na trama.

Lineu (Marco Nanini) volta às telas da Globo para contar, a cada semana, a história de um desses personagens, que terá sua trajetória resumida em cinco episódios. “Esses personagens são muito bem construídos e o especial é uma maneira de aproveitá-los ainda melhor. No caso do Lineu, me trouxe ótimas recordações de um personagem apaixonante pela sua simplicidade e ética”, celebra Marco Nanini.  “’O Álbum’ é uma reunião de episódios de várias temporadas que mostram a evolução dos personagens, revelam como o caráter deles foi se desenvolvendo. Ou seja, não são os melhores momentos da série e sim os episódios que melhor marcam e constroem o perfil de cada personagem”, conta o redator-final, Mauro Wilson.

O “Álbum da Grande Família” terá duração de seis semanas e vai começar pela trajetória de Nenê (Marieta Severo). Cinco episódios selecionados, um a cada dia, destacarão a personalidade e as transformações na vida da matriarca da família Silva. Na semana seguinte, será a vez de Bebel, seguida por Agostinho (Pedro Cardoso) e Tuco (Lúcio Mauro Filho). A quarta semana será dedicada aos convidados especiais Floriano (Rogério Cardoso, que morreu durante uma das temporadas), Marilda (Andrea Beltrão), Mendonça (Tonico Pereira), Beiçola (Marcos Oliveira) e Paulão (Evandro Mesquita). E, para encerrar, será contada a saga de Lineu (Marco Nanini), narrador do especial.

O especial é mais um fruto do trabalho de curadoria que a Globo tem feito ao lançar um novo olhar sobre o seu acervo, como em experiências como o “Luz , Câmera, 50 anos”, “Cidade dos Homens” e “Por Toda a Minha Vida”, entre outros. “Fizemos um trabalho em cima dos quase 500 episódios do seriado. Pincelando os que representam os momentos de virada de cada personagem, suas fases e transformações, com o Lineu (Marco Nanini) contextualizando a trama, em narração inédita”, diz Patrícia Pedrosa, roteirista do especial e diretora da “Grande Família” durante as duas temporadas finais do seriado. “A Grande Família” foi um seriado muito querido e tem lugar na memória afetiva do público. Esse especial dá a oportunidade de a gente ir mais a fundo na história de cada um desses personagens deliciosos. Olharmos para eles com mais atenção e ver toda riqueza que eles trazem”, comemora Mauro Wilson.  

Para relembrar

Em 2001 a Globo decidiu ressuscitar um grande sucesso de audiência dos anos 70. Exibida originalmente entre 1972 e 1975 a série criada por Oduvaldo Vianna Filho e Armando Costa logo caiu no gosto popular, contando as aventuras e desventuras da família Silva, uma família de classe-média brasileira.

Nem mesmo a emissora imaginava que o remake, que estreou em 29 de março de 2001 duraria 14 anos e se tornaria uma das séries mais longas da televisão brasileira. De carona no sucesso da televisão, em 2007 foi lançado “A Grande Família – O Filme”, longa que levou mais de 2 milhões de espectadores aos cinemas de todo o Brasil.

Marco Nanini, Marieta Severo, Tonico Pereira, Marcos Oliveira, Evandro Mesquita, Vinícius Moreno, Lúcio Mauro Filho, Pedro Cardoso e Guta Stresser desempenharam os papéis principais da série, que foi indicada e ganhou diversos prêmios, consolidando-se como o programa humorístico mais assistido da televisão brasileira. Em 2008, a série recebeu indicação ao Emmy de melhor ator pela atuação de Pedro Cardoso, interpretando o inesquecível Augustinho Carrara.

Na versão “moderna” de “A Grande Família”, os roteiristas alteraram alguns fatores presentes na versão original. Retiraram o personagem Júnior (Osmar Prado), que tinha como característica seu interesse por política, algo que foi adicionado a Lineu e atualizaram o modo de vida dos personagens, como Tuco. A família também passou a morar no Rio de Janeiro e não em São Paulo, como originalmente.

"A Grande Família" foi inicialmente idealizado para ser apenas um especial em homenagem à primeira versão, com apenas 12 episódios que depois se tornaram 17 episódios e foram aumentando ano após ano.

A abertura foi um dos grandes trunfos da série. Da primeira temporada até a última, ela apresentava o universo dos personagens, embalados pela música de Tom e Dito: "A Grande Família", música que virou uma espécie de hino para as famílias brasileiras. No primeiro ano, um álbum de família se abria, mostrando momentos da família Silva, que ia do casamento de Lineu e Nenê, até os dias atuais. Do segundo ano até o quinto, a série continuou com um álbum de fotografias, mas em animação: bonecos animados com os rostos dos atores mostravam passo a passo da formação da família. Após a morte de Rogério Cardoso, o seu Flor, foi retirado a cena na qual ele aparecia deitando-se no sofá. Com a entrada de Andréa Beltrão, Marilda surgiu na abertura. Do sexto ao oitavo ano, mais uma mudança. Os rostos dos atores foram inseridos nas fotos originais, para mostrar que os espectadores eram como aqueles personagens. A diferença dessa abertura é que os álbuns de fotografias vão mudando de acordo com o passar dos anos da família Silva. De 2009 até 2011, uma nova abertura foi feita, com os personagens transformados em bonecos bidimensionais com cabeças gigantes e animados. O dia a dia de cada personagem é mostrado e, no final, todos estão reunidos no sofá vendo TV. Em 2012 e 2013, a série mudou mais uma vez de abertura. A estética cartoon dos anos 70 foi resgatada. Uma sexta e última abertura foi criada para a temporada final. Foi recriada a abertura de 2002, porém desta vez, a evolução dos personagens que os telespectadores acompanharam no decorrer das 14 temporadas foram incluídas nela.

Infelizmente, já com a fórmula desgastada, a Globo decidiu cancelar a série e o último episódio de “A Grande Família” foi ao ar em 11 de setembro de 2014. E agora a emissora volta com o “Álbum da Grande Família”, uma justa homenagem,


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
26 de Abril, 2017
PM de Barretos apreende quase dois kg de drogas que viriam para Olímpia - 119
26 de Abril, 2017
Comerciante tem alta hospitalar e deve prestar esclarecimentos a polícia - 229
25 de Abril, 2017
OFC empata com Portuguesa com gol de pênalti que causa tumulto - 102
25 de Abril, 2017
Ladrões furtam 15 cabeças de gado em fazenda de Olímpia - 139
25 de Abril, 2017
Comerciante sofre tentativa de roubo em porta de agência bancária no centro de Olímpia. - 144


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites