10 de outubro | 2021

Com plano do governo Olímpia pode ficar rodeada de pedágios

Compartilhe:

 

PRIVATARIA DORIANA!
Governo anuncia privatização de todas as rodovias que circundam o município de Olímpia.
Com privatização, fatalmente olimpiense em breve vai ter que pagar pedágio para ir para Rio Preto, Barretos e Bebedouro. Fica faltando (ou pode acontecer também) no sentido de Guaraci. Será que a vicinal para Tabapuã também vai ter?


DA REDAÇÃO
Segundo matéria da jornalista Francela Pinheiro, publicada no Diário da Região do último dia 07, o Estado de São Paulo anunciou que vai privatizar mil quilômetros de rodovias, não informou detalhes sobre as obras e praças de pedágio, como entre Rio Preto e Olímpia, na Assis Chateaubriand

O programa prevê privatização de nove rodovias, sete delas na região de Rio Preto, entre novas concessões e renovações. Trechos administrados atualmente pelo Estado, como a rodovia Assis Chateaubriand (SP-425) entre Rio Preto e Olímpia, Olímpia e Barretos e Olímpia a Guairá estão na lista. Circundando Olímpia, ainda deverá ser privatizada a rodovia da Laranja, até Bebedouro.

Apesar do anúncio, o governo João Doria (PSDB) não informou detalhes das obras previstas, prazos e tampouco quantas praças de pedágio serão instaladas. As novas concessões devem ser por 30 anos.

PRAÇAS DE PEDÁGIO SÃO INEVITÁVEIS NAS CONCESSÕES

No entanto, é tida como certa a colocação de praças de pedágio e, com isso, Olímpia estaria praticamente sitiada por pedágios. Faltando apenas praças no trecho que vai para Guaraci e na outra principal entrada da cidade que é a vicinal Natal Breda que liga a cidade a Tapabuã e a rodovia Whashington Luiz que, com isso, poderá receber mais tráfego ainda.

As concessões resultam em pedágios e as empresas que ficarem com os trechos deverão realizar obras. Segundo o Diário apurou, em todos os lotes há previsão de instalação de praças de pedágios.

PRIVATIZAÇÃO NA REGIÃO
O pacote de renovação e novas concessões de rodovias paulistas anunciado pelo governo de João Doria (PSDB) incluem, além da rodovia Assis Chateaubriand, a privatização da SP-373 (trecho de Severínia a Colina), da SP-326 (trecho de Barretos a Colômbia) e da SP 322 (trecho de Bebedouro a Olímpia).

O programa também prevê a renovação das concessões SP-351 (trecho entre Bebedouro e Catanduva), da SP-323 (trecho entre Taquaritinga e Pirangi), da SP-326 (trechos entre Bebedouro e Barretos e entre Bebedouro e Araraquara), da SP-333 (trecho entre Sertãozinho e Borborema), além da SP-310 (trecho entre São Carlos e Mirassol). 

CUNHA APROVA PRIVATIZAÇÃO

O prefeito Fernando Cunha (PSD) afirmou na quinta-feira, 7, que apoia privatizações de rodovias da região com cobrança de pedágios, desde que sejam realizadas obras de duplicação.

Segundo o prefeito, o trecho mais movimentado que está na concessão é o da rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), entre Rio Preto, Olímpia, Barretos e Guaíra. Na região de Olímpia, o governo paulista também pretende privatizar a rodovia Armando de Salles Oliveira (SP-322) até Bebedouro.

De acordo com o prefeito, a concessão da Assis Chateaubriand, duplicada até Guapiaçu, e da Armando de Salles até Bebedouro com obras de duplicação em todos os trechos é uma demanda antiga. “Para nós é vital. São boas estradas, mas estão estranguladas pelo fluxo de veículos, 15 mil por dia no caso da Assis”, disse.

CONCESSÃO PRESSUPÕE PEDÁGIO

Segundo Cunha, a maior expectativa é sobre a rodovia Armando de Salles Oliveira, trecho utilizado por quem procura a cidade para desfrutar do turismo dos parques aquáticos. “Do ponto de vista do turismo, Bebedouro é importante”, disse.

Na avaliação de Cunha, os trechos da SP-425 entre Rio Preto, Olímpia e Barretos serão duplicados, assim como entre o município e Bebedouro. Obras que, na análise do prefeito, justificam as praças de pedágio que devem ser instaladas em cada um dos trechos.

“A concessão pressupõe pedágio, é inevitável, a gente terá pedágio entre Rio Preto e Olímpia, de Olímpia a Barretos e da cidade até Bebedouro”, afirmou.

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Todos os Comentários (1)
Celso Maziteli Neto há 4 horas atrás
O Estado de São Paulo está rodeado de pedágio num processo iniciado há mais de 30 anos. A questão é se Olímpia vai estar rodeadas de rodovias duplicadas e modernas, uma preocupação que faltou por décadas e que hoje não só é essencia p desenvolvimento econômico do município, como também para proporcionar mais segurança ao usuário. O aspecto positivo da concessão se sobrepõe em muito ao pedágio, ainda mais diante dos estudos para descontos por sua frequente, não abordados na matéria. Infraestrutura concedida é uma realidade global, não só brasileira, muito menos paulista ou regional.
Mais lidas